Mobilidade – Empresarial

Mobilidade

Quais são as principais perguntas sobre Mobilidade?

Mobilidade aumenta a velocidade e tamanho dos negócios, reduz despesas de funcionamento e permite responder às demandas em tempo real. Está entre os projetos que mais crescem em prioridade nas empresas. Para entender um pouco mais sobre esse mercado, aplicações e tecnologias tente responder as perguntas a seguir:

  1. Qual o valor da Mobilidade?
  2. Qual a relação entre BYOD, MDM, SDN?
  3. Quais são as principais áreas de atuação do MDM?
  4. Como funciona o pagamento móvel com carteira digital, utilizado pela Aplle, Google e Sansung?
  5. O que é M2M e sua relação com a Internet das Coisas (IoT)?
  6. Qual o impacto da Mobilidade no comércio eletrônico?
  7. Quais os fatores que alavancam Unified Communication Móvel?
  8. Como é a topologia móvel em uma grande corporação?

Saiba mais. Mobilidade e ValorBYOD – Bring Your Own DeviceMDM – Mobile Device ManagementM2M – Machine to MachineMobilidade e Unified CommunicationMobile PaymentTopologia Móvel CorporativaRFID – Radio Frequency Identification


 

Saiba mais. SmartPhones – Comparação de smartphones, Android x IoSSegurança e MobilidadeSegurança em smartphonesSegurança de aplicativos em smartphonesApps de Segurança – Android?


Mobilidade e Valor

Como maximizar o valor da Mobilidade?

Figura. Benefícios mais esperados com a mobilidade (2017)

Na maioria das empresas, existem três drivers de valor primário de mobilidade sem fio, que permitem avaliar e responder essa pergunta:

  • Aumentar a velocidade dos negócios —-> Driver de Receita
  • Reduzir despesa de funcionamento de um negócio —->  Driver de Custo
  • Permitir análise de negócios em tempo real —-> diretamente dependente de Gerência e Segurança —-> Driver de Controle

Para o cliente obter o máximo de desempenho com a mobilidade, ele deve ponderar o efeito da mobilidade nesses 3 drivers, à partir da sua perspectiva de negócio.

Como a Mobilidade ajuda a produtividade e velocidade nos negócios?

A produtividade é um elemento essencial para aumentar a velocidade global de uma empresa. A produtividade é bastante reforçada pela mobilidade. Ter as pessoas certas para participar em operações de negócios sem ter que estar fisicamente presente elimina muito tempo gasto em locomoção.

Levar a informação certa às pessoas certas, mais rapidamente, permite mais tempo para tomar as decisões corretas, responder antes de uma situação se agravar e aumentar o número total de horas disponíveis para o trabalho.

Isto advém da redução ou eliminação de divisórias entre recreação, pessoal, educação e trabalho. Por exemplo, em vez de um trabalhador voltar ao escritório para lidar com um problema, ele pode lidar com isso por telefone de forma rápida e sem causar atrasos; muitas vezes, as instruções breves podem ser oferecidas para gerenciar o assunto até que a pessoa possa dar a sua total atenção ou estar fisicamente presente.

Deixar de responder em tempo real ou não conectar um ponto de atendimento com um especialista no assunto, ou falta de informações importantes no momento de execução de uma atividade, geralmente resultam em uma oportunidade perdida para um concorrente.

Em certas situações, como atendimentos de emergência, a aquisição de informações em tempo real pode salvar vidas. A informação em tempo real também pode garantir que uma pessoa não perca uma importante reunião, um encontro de família importante, ou um evento social.

Mobilidade torna muitos dos elementos da distância irrelevantes; os resultados disso são respostas em tempo real para a dinâmica de negócios de rotina.

Como a Mobilidade ajuda a reduzir os custos operacionais?

Uma das primeiras questões a resolver sobre a implantação de sistemas sem fio é a do custo versus o valor da mobilidade sem fio.

Centrar no custo, em vez de valor é um dos erros frequentes, tanto clientes, mas também fornecedores dessa tecnologia. Ver fórmula de valor.

A busca da redução de despesa (OPEX), de uma forma geral é fundamentada na “administração superior”.

Em termos da atenção que desperta nas pessoas, só perde para a expansão das vendas. Isto advém de que “a existência do negócio em si é baseada na garantia de que sobre dinheiro após os gastos”.

A redução de OPEX é conseguida quando as eficiências são obtidas no uso do tempo e dos materiais.

As empresas mais bem administradas se concentram constantemente na redução do custo de execução do negócio. Este foco é mantido em paralelo com o aumento da qualidade do produto ou serviço e aumento da eficiência de todas as operações.

O preço das ações de uma empresa de capital aberto normalmente aumenta quando a empresa pode reduzir o custo do negócio, mantendo ou melhorando a qualidade, além de proporcionar a confiança de que suas vendas globais vão aumentar. Isto, naturalmente, pressupõe um mercado e um conjunto macroeconômico racional.

A redução de Opex depende da excelência em gestão e eficiência dos processos de negócios (BPM), que são positivamente afetados pela mobilidade.

Porque a mobilidade é fundamental para aplicações em tempo real?

O tratamento de exceções operacionais, tais como recebimento de matérias-primas incorretos, insuficientes ou danificadas; mau funcionamento do equipamento; e outras condições inesperadas são comuns nos negócios. A detecção precoce destas anomalias é essencial para o foco na redução de OPEX, por meio da análise de processo de negócio em tempo real. Mobilidade desempenha um papel especial aqui; a comunicação sem fio permite que os dados sejam enviados em tempo real para outras áreas da instalação, incluindo os dispositivos portáteis de manutenção e gestão dos empregados, parceiros, fornecedores e a cadeia de valor em geral.

Materiais da cadeia de fornecimento, e outras funções críticas de inventário, estão cada vez mais inseridas em empilhadeiras, robótica, estações de trabalho móveis, nos carrinhos de médicos, e assim por diante. A capacidade de manter a conectividade dessas plataformas essenciais, em movimento ou em locais diferentes ao longo de uma área de trabalho, aumenta a granularidade da gestão de negócios.

O melhor dos sistemas de análise de negócios está na capacidade dos stakeholders (partes interessadas) receber e gerenciar dados remotamente nas situações em que os elementos da cadeia de abastecimento estão em trânsito, e conectados à rede. A qualidade da análise de negócios reside em parte na capacidade de captação de dados dos sensores e na capacidade de análise que podem ser realizadas. Quanto maior o número de interessados que são avaliados em tempo real, melhor será o tempo de reconhecimento da gestão e resposta.

O papel da mobilidade sem fio não é simplesmente detectar ou comunicar informações por si só, mas garantir que os terminais de dados tenham conectividade em movimento, em tempo real.

A Mobilidade está diretamente associada à acesso Internet, BI, Big Data, Unified Communication, Cloud Computing e Redes Sociais.

Como a Mobilidade contribui para o controle de fluxo de ativos?

O conceito de “controle baseado em fluxo”, a monitoração, em tempo real, do movimento de inventário e ativos (incluindo o ativo mais importante, pessoas) desde o recebimento até a expedição.

Quanto melhor a imagem em tempo real do inventário e ativos de uma empresa, maior será a capacidade da gestão usar essas informações para o máximo proveito da empresa. O movimento de ativos é essencial para um funcionamento saudável e rentável.

O conceito fundamental de um negócio é receber recursos, alterá-los e enviá-los para o próximo usuário.

Quanto maior for a precisão desse processo, que depende de medidas e gerenciamento, mais eficiente (e rentável) um negócio será. Ligar essas informações para garantir o equilíbrio da cadeia de fornecimento é essencial para a empresa poder gerenciar com mais precisão custos, recursos, insumos, processo, sistemas e pessoas, ao longo do fluxo do seu negócio.

Controle baseado em fluxo automatizado significa que um gerente não precisa ficar na doca de carregamento ou pessoalmente contar todos os produtos que saem da linha de montagem. Um vendedor ou o empreiteiro não precisam fazer a longa viagem de volta para o escritório corporativo ou biblioteca para informações críticas. Gerentes e funcionários podem gerenciar suas cargas de trabalho a partir de qualquer ponto em que a conectividade sem fio está disponível.

Mobilidade permite sensores em pessoas, locais ou equipamentos para captar informações para controle e processamento em tempo real, e gerar respostas, insights, facilitar a tomada de decisões e aumentar a produtividade das pessoas.

Como a Mobilidade gera vantagem competitiva para as Pessoas?

A mobilidade permite uma enorme vantagem competitiva: a pessoa estar no lugar certo, na hora certa para executar a operação

Praticamente todas as pessoas usam conectividade sem fio para orientá-los para ir aos locais certos, nos momentos certos, quando além de um escritório ou residência. A atual geração de smartphones inclue sistemas de posicionamento global (GPS), calendários e ferramentas de colaboração e teleconferências.

Colocar sensores estáticos em empresas na fabricação e armazenamento é um bom negócio. Melhor ainda é usar sensores dinâmicos que podem se mover.

Isto maximiza a flexibilidade de uma instalação e equipes, o que conduz a eficiência.

Instabilidades ou sazonalidades nos fluxos de informações e ativos de uma empresa de pequeno e grande porte podem ser evitados, monitorados e tratados em tempo real. Grandes movimentos de estoques, podem exigir espaço extra ou manipulação para rapidamente acomodar e reduzir os investimentos em infraestruturas como edifícios extras e equipamentos de manuseio especial. Os sensores móveis podem ser incorporados nas indústrias, na fabricação e armazenagem. Ou na saúde, lojas de varejo e transporte. Inclui-se aqui pequenas empresas, que rotineiramente utilizam a tecnologia móvel como scanners e dispositivos de voz.

A mobilidade leva a informação onde a pessoa está. Ela altera a relação do fluxo de materiais e pessoas em movimento. Ela faz com que as informações cheguem às pessoas.

Exemplos incluem levar a educação para as pessoas em todo o país ou ao redor do mundo em vez de exigir que os estudantes entrar em um edifício físico em um campus dedicado; receber relatórios de tempo no seu smartphone em vez de esperar a notícia do boletim meteorológico das 06:00, na televisão; trazer informações de saúde de pacientes ao invés de exigir que os pacientes visitem as clínicas ou consultórios médicos para obter informações sobre os efeitos colaterais da prescrição, por exemplo.

A Mobilidade permite que a plataforma de TI esteja no inventário em vez de processar o inventário por meio de máquinas ou outros portais. A Mobilidade permite o controle baseado em fluxo na sua variante mais eficiente.

A Mobilidade aumenta a satisfação no trabalho

Pelos seus benefícios, a mobilidade aumenta a satisfação das pessoas, que são o principal ativo de qualquer negócio. A demanda por trabalhadores altamente qualificados continuará a aumentar no futuro. A satisfação no trabalho é um elemento importante para ajudar manter talentos e reduzir a movimentação de trabalhadores, o que é caro e tem implicações significativas de produtividade.


A Mobilidade está diretamente associada à acesso Internet, BI, Big Data, Unified Communication, Cloud Computing e Redes Sociais.


Saiba mais. Mobilidade; Mobilidade e ValorBYOD – Bring Your Own DeviceMDM – Mobile Device ManagementM2M – Machine to MachineMobilidade e Unified CommunicationMobile PaymentTopologia Móvel CorporativaRFID – Radio Frequency Identification


 

Saiba mais. SmartPhones – Comparação de smartphones, Android x IoSSegurança e MobilidadeSegurança em smartphonesSegurança de aplicativos em smartphonesApps de Segurança – Android?


BYOD – Bring Your Own Device

Qual a relação entre Mobilidade, BYOD, MDM, Segurança, SDN e Cloud Computing?

BYOD – Bring Your Own Device (ou traga seu próprio dispositivo) responde à política de permitir que os funcionários tragam dispositivos pessoais (laptops , tablets e telefones inteligentes) para o local de trabalho e usar esses dispositivos para acessar informações e aplicativos de empresas.

A proliferação de dispositivos como tablets e smartphones, que agora são utilizados por muitas pessoas em suas vidas diárias, leva as empresas  a permitir que os funcionários usem seus próprios dispositivos, devido a ganhos de produtividade e economia de custos.

Isto significa também abrir a rede para um grande número de dispositivos desconhecidos.

Isso impacta o ambiente tradicional de TI.  Não é apenas um laptop ou desktop por funcionário; é também o telefone celular que se conecta à rede corporativa, e assim por diante. Essa multiplicidade de dispositivos aumenta a probabilidade de ataques de hackers, malwares, vírus. Muitas brechas aparecem que aumentam a probabilidade de causar violações de privacidade e conformidade que expõem a organização ao órgãos reguladores e ao público.

Qual a relação entre Consumerização  e BYOD?

A consumerização de TI – a mistura de uso pessoal e comercial de dispositivos e aplicações – está crescendo devido à uma nova força de trabalho, mais móvel, que cresceu com a Internet.

Hoje, os funcionários têm boa tecnologia em casa e esperam poder usá-la no trabalho também. Isso é chamado de BYOD (Bring Your Own Device). Essa mistura de tecnologia pessoal e comercial está tendo um impacto significativo nos departamentos de TI corporativos, que tradicionalmente disponibilizam e controlam a tecnologia que os funcionários usam para executar o trabalho.

Qual a relação entre BYOD e MDM?

A oportunidade de BYOD é maior que a oportunidade de MDM, já que nem todos dispositivos de uma empresa precisam ser gerenciados por uma plataforma MDM.

Quando uma organização adota BYOD, isto significa também abrir a rede para um grande número de dispositivos desconhecidos. Isso impacta o ambiente tradicional de TI das empresas. Não é apenas um laptop ou desktop por funcionário. É também o telefone celular que se conecta à rede corporativa, e assim por diante. Essa multiplicidade de dispositivos aumenta a probabilidade de ataques de hackers, malwares, vírus. Muitas brechas aparecem que aumentam a probabilidade de causar violações de privacidade e conformidade que expõem a organização ao órgãos reguladores e ao público.

As soluções de Gestão de Dispositivos Móveis (MDM) e Enterprise Mobile Management (EMM) fortalecem a segurança BYOD.

BYOD e SDN

SDN pode fortalecer ainda mais BYOD, graças à sua ênfase em políticas, automação e modelagem de tráfego.

SDN permite a aplicação de políticas de segurança e privilégios de acesso e acompanhar um usuário de dispositivo para dispositivo, por exemplo, permitindo uma execução consistente, independentemente dos pontos de conexão do usuário à rede.

Além disso, o controle de uso da largura de banda pode ser definido por  usuários, aplicativos, tipos de dados ou mesmo dispositivos. Além de tornar os downloads grandes de arquivos sensíveis mais difíceis de serem realizados e mais fáceis de detectar.

Graças ao conflito entre os requisitos de conformidade regulamentar cada vez mais rigorosos e o desejo das empresas de reduzir os custos e melhorar a produtividade através do BYOD, o mercado de segurança BYOD tornou-se grande e próspero.


MDM – Mobile Device Management

Quais são as principais áreas de atuação e funcionalidades do MDM?

Figura. MDM e suas principais áreas de atuação e funcionalidades – BYOD, PRODUTIVIDADE, PRIVACIDADE, SUPORTE à MULTIPLATAFORMAS, SEGURANÇA e CONFORMIDADE.

Mobile Device Management são sistemas de gerenciamento de dispositivos móveis, como smartphones, tablets, laptops e computadores desktops – protege, monitora, gerencia e suporta dispositivos móveis implantados por operadoras de telefonia móvel, provedores de serviços e empresas.

Geralmente inclui funcionalidades de distribuição de aplicativos, dados e definições de configuração para todos os tipos de dispositivos móveis. Isso se aplica a ambos os dispositivos de propriedade da empresa ou de propriedade dos seus empregados, no ambiente corporativo, ou dispositivos móveis de consumidores. A proposta de economia do MDM é reduzir custos de suporte e  riscos do negócio, melhorar o desempenho e segurança e reduzir o tempo de inatividade.

Consumerização e MDM

A “consumerização” impulsiona as empresas de segurança a desenvolver soluções MDM cada vez mais completas e robustas.

Tendências Implicações
Crescimento de Smartphones e Tablets e necessidade de acessar dados das empresas à partir de dispositivos de propriedade particular Gerenciar múltiplos dispositivos móveis e gerar ROI
Explosão de conteúdos e informações móveis Segurança para a distribuição rápida e econômica de aplicações com gerenciamento fim a fim de aplicações e documentos
Crescimento de dispositivos M2M e laptops conectados Capacidade para gerenciar todos os dispositivos móveis à partir de uma única plataforma e gerar relatórios integrados
Crescimenjto da fragmentação de dispositivos, com destaque para Android Tratar grande multiplicidade de soluções de segurança e conectividade
Serviços de Cloud Computing Proliferação de soluções e saber escolher a melhor alternativa de MDM

BYOD – uso de aparelhos pessoais no ambiente corporativo é tendência inevitável. É melhor gerenciar o uso do que proibir e gerar insatisfação.

Um tipo de solução utilizada é separar as informações corporativas e pessoais no mesmo dispositivo, permitindo que um gerenciador remoto controle apenas a parte dos dados de interesse da empresa. Outro tipo de solução é o monitoramento  constante de qualquer dispositivo móvel a fim de proporcionar uma abordagem pró-ativa de suporte para o cliente.


MDM – Resumo

  • PÚBLICO ALVO: Administradores de TI; para controlar, proteger, aplicar políticas em smartphones, tablets e outros endpoints.
  • POSICIONAMENTO: O MDM é um componente central do EMM (gerenciamento de mobilidade empresarial ), que também inclui gerenciamento de aplicativos móveis, gerenciamento de identidade e acesso e compartilhamento e sincronização de arquivos corporativos.
  • OBJETIVO: otimizar funcionalidades e a segurança de dispositivos móveis dentro da empresa e, ao mesmo tempo, proteger a rede corporativa.
  • ARQUITETURA: depende do software de ponto de extremidade chamado de agente MDM e de um servidor MDM que reside em um data center (no local ou na nuvem).
  • CONFIGURAÇÕES. Os administradores de TI configuram políticas por meio do console de gerenciamento do servidor MDM e o servidor envia essas políticas “over the air” para o agente MDM no dispositivo. O agente aplica as políticas ao dispositivo comunicando-se com interfaces de programação de aplicativos ( APIs ) construídas diretamente no sistema operacional do dispositivo.
  • APLICATIVOS. podem ser implantados em dispositivos gerenciados por meio do servidor MDM.

Recursos MDM

  • Os desenvolvedores de sistemas operacionais móveis e fabricantes de dispositivos móveis controlam o que o software MDM pode e não pode fazer em seus dispositivos por meio de suas APIs; como resultado, o gerenciamento de dispositivos móveis tornou-se uma commodity – um conjunto semelhante de recursos básicos.
  • A diferenciação no mercado MDM vem com a integração de servidores de gerenciamento de dispositivos móveis a outros softwares corporativos.
  • Os recursos comuns MDM incluem: inventário e rastreamento de dispositivos; distribuição de aplicativos e / ou uma loja de aplicativos corporativos ;limpeza remota; aplicação de senha; lista de permissões de aplicativos e listas negras; e aplicação de criptografia de dados.

Evolução

  • Os produtos MDM modernos suportam não apenas smartphones, mas também tablets, computadores com Windows 10 e macOS e até mesmo alguns dispositivos de internet de coisas.
  • A prática de usar o MDM para controlar PCs é conhecida como UEM – Unified Endpoint Management.

Tendências MDM

O panorama do fornecedor de MDM mudou significativamente desde os primeiros dias. A maioria dos fornecedores do mercado naquela época, como a AirWatch, a MobileIron, a Sybase, a Zenprise e a Fiberlink, dedicavam-se exclusivamente à mobilidade corporativa.

A partir de 2017, a MobileIron foi o único fornecedor independente de EMM a permanecer como líder no Quadrante Mágico do Gartner. A maioria dos outros grandes players do mercado são grandes fornecedores de software corporativo. VMware, IBM, BlackBerry, Citrix e Microsoft..


EMM – Enterprise Mobility Management

Para evitar o processo de erosão dos preços praticados em MDM a maioria dos players tem migrado para soluções de EMM, mais completas com aplicações para gerência de device, de acessos, de conteúdos e de aplicativos.

  • O EMM cresceu a partir do (MDM), que se concentrava apenas no controle em nível de dispositivo e na segurança.
  • Após o lançamento do Windows 10 em 2015 , a maioria dos provedores de software EMM expandiu-se para o UEM (Unified Endpoint Management), que permite que a TI gerencie PCs e dispositivos móveis por meio de um único console.
  • O EMM geralmente envolve alguma combinação de MDM, gerenciamento de aplicativos móveis (MAM) , gerenciamento de conteúdo móvel (MCM) e gerenciamento de identidade e acesso .
EMM = DISPOSITIVO + APLICAÇÕES + CONTEÚDO + IDENTIDADE
Essas quatro tecnologias começaram como produtos individuais, mas estão cada vez mais sendo incorporadas pelo software EMM.
  • O MDM é a base de qualquer suíte de mobilidade empresarial.
  • MAM fornece gerenciamento e segurança mais granulares para um aplicativo ou subconjunto específico de aplicativos.
  • MCM, apenas aplicativos aprovados podem acessar ou transmitir dados corporativo.
  • Gerenciamento de Identidade e acesso controla como, quando e onde os funcionários podem usar aplicativos e dados corporativos, além de oferecer alguns recursos fáceis de usar, como o logon único.

UEM – Unified Endpoint Management

A mudança do MDM para o EMM foi bastante rápida – mais organizações percebem a necessidade de proteger suas redes e garantir a conformidade dos dados.

Unified Endpoint Management (UEM), permite às empresas gerenciar TODOS os endpoints como laptops, celulares, tablets, PCs, impressoras e wearables usando uma única solução extensiva de EMM.

A Microsoft criou APIs MDM no Windows 10, que abriu as portas para o software EMM gerenciar os PCs da mesma forma que gerencia smartphones e tablets. A Apple também permite que seus desktops e laptops sejam gerenciados dessa maneira. Todos os principais fornecedores de EMM suportam essa funcionalidade, marcando uma mudança de mercado do EMM para o UEM.


Saiba mais. Mobilidade; Mobilidade e ValorBYOD – Bring Your Own DeviceMDM – Mobile Device ManagementM2M – Machine to MachineMobilidade e Unified CommunicationMobile PaymentTopologia Móvel CorporativaRFID – Radio Frequency Identification.


Saiba mais. SmartPhones – Comparação de smartphones, Android x IoSSegurança e MobilidadeSegurança em smartphonesSegurança de aplicativos em smartphonesApps de Segurança – Android?


M2M

O que é M2M e sua relação com a Internet das Coisas (IoT)?

M2M é uma denominação ampla para descrever qualquer tecnologia que permita que dispositivos em rede troquem informações e realizem ações sem a assistência dos seres humanos. Existe de diferentes formas desde o advento da automação de redes de computadores e antecede a comunicação celular.

Atualmente, M2M é considerada parte integrante da “ Internet das Coisas (IoT) ”, com vários benefícios. Cada “coisa” é exclusivamente identificável através da computação embarcada, capaz de interoperar na Internet. É frequentemente usada para monitoramento remoto. Em recolocação de produto, por exemplo, uma máquina de venda automática pode encaminhar uma mensagem quando um determinado item está acabando.  É um aspecto importante da gestão de armazém, controle remoto, robótica, controle de tráfego, serviços de logística, gestão da cadeia de suprimentos, gestão de frota e telemedicina.

É muito utilizada para rastreamento de veículos. Seguradoras usam muito. Outras aplicações são controle de vouchers de taxi, relatórios de viagens, e assim por diante. Atributos de valor destacáveis do M2M são eficiência, precisão e economia.

MPoS (Ponto de Venda Móvel). É um dos serviços mais desenvolvidos de M2M atualmente. Pode ser um smartphone, tablet ou dispositivo sem fio dedicado que executa as funções de uma caixa registadora ou um terminal de ponto de venda eletrônico. Um mPOS permite que um pequeno empresário realize transações financeiras de forma simples, com baixo investimento – qualquer smartphone ou tablet pode ser transformado em um mPOS via download de aplicativo e um leitor de cartão que se conecta à tomada de áudio do dispositivo móvel.


Saiba mais. Mobilidade; Mobilidade e ValorBYOD – Bring Your Own DeviceMDM – Mobile Device ManagementM2M – Machine to MachineMobilidade e Unified CommunicationMobile PaymentTopologia Móvel CorporativaRFID – Radio Frequency Identification.


Saiba mais. SmartPhones – Comparação de smartphones, Android x IoSSegurança e MobilidadeSegurança em smartphonesSegurança de aplicativos em smartphonesApps de Segurança – Android?


Mobilidade e Unified Communication

Quais os fatores que alavancam a tendência de Unified Communication Móvel?

1.Explosão da Mobilidade
2.Expansão da banda larga com o 4G
3.Crescimento de Cloud Computing
4.Proliferação de Aplicações corporativas móveis – ERP, CRM, SFA, FFA, …
5.Aumento da capacidade Web 2.0: blogs, wikis, intranets, comunicação em tempo real, videoconferência, colaboração de equipes remotas.
6.Necessidade de Comunicação corporativa em tempo real
7.Melhores Experiência de Uso das Aplicações
8.BYOND e MDM
9.Criação de escritórios virtuais móveis
10.Proliferação de Tablets e Smartphones
11.Soluções VoIp e PABX Virtual – telefonia baseada na tecnologia IP
12.VPN – Virtual Private Network: para comunicação corporativa e acesso remoto com segurança
13.Comunicação multimídia: mais gráfica e dinâmica

Saiba mais. Mobilidade; Mobilidade e ValorBYOD – Bring Your Own DeviceMDM – Mobile Device ManagementM2M – Machine to MachineMobilidade e Unified CommunicationMobile PaymentTopologia Móvel CorporativaRFID – Radio Frequency Identification.


Saiba mais. SmartPhones – Comparação de smartphones, Android x IoSSegurança e MobilidadeSegurança em smartphonesSegurança de aplicativos em smartphonesApps de Segurança – Android?


Mobile Payment

O pagamento móvel (também conhecido como dinheiro móvel , transferência de dinheiro por celular e carteira móvel ) geralmente se refere a serviços de pagamento operados sob regulamentação financeira e executados por meio de um dispositivo móvel.

Contexto

O Ponto de Venda PDVPOS – Point Of Sale) ou Ponto de Compra ( POP – Point Of Purchase) é a hora e o local em que uma transação de varejo é concluída – o comerciante calcula o valor devido pelo cliente, indica esse valor, emite uma fatura, apresenta opções para o cliente efetuar o pagamento e emite um recibo para a transação, que geralmente é impressa ou enviada eletronicamente.

Podem ser usados vários dispositivos, como balanças , scanners de código de barras e caixas registradoras; terminais de pagamento, telas sensíveis ao toque, e assim por diante. O software do terminal POS também pode incluir aplicativos para gerenciamento de estoque , CRM , finanças ou armazenamento .

Novos aplicativos foram introduzidos, permitindo que transações de PDV sejam realizadas usando telefones celulares e tablets. Espera-se que os terminais POS móveis (mPOS) substituam as técnicas de pagamento contemporâneas por causa de vários recursos, incluindo mobilidade, investimento inicial de baixo custo e melhor experiência do usuário.

O que é um mPOS?

mPOS (mobile point of sale) ou ponto de venda móvel, pode ser um smartphone, tablet ou dispositivo sem fio dedicado que executa as funções de uma caixa registradora ou terminal de ponto de venda eletrônico (terminal POS) sem fio.

Como implantar um mPOS?

Para implementar um mPOS, uma empresa precisa de uma conexão com a Internet, um leitor de cartão de crédito e débito e um aplicativo baixado de algum fornecedor para qualquer dispositivo para realizar e controlar as transações.

Normalmente, o fornecedor do aplicativo  envia ao cliente proprietário da empresa um leitor de cartão que é conectado à entrada de áudio do dispositivo móvel, para processar cartões de débito / crédito.

São ideais para empresas que estão constantemente em movimento, como food trucks, serviços domésticos e de reparos, instalações esportivas, e assim por diante, para realizar transações de cartões de crédito e débito em movimento.

Prós

  • Transações financeiras NÃO precisam estar vinculadas a um único local.
  • Melhorar a experiência do cliente (CX) – reduzir o tempo de serviço e espera e oferecer várias opções de pagamento.
  • Liberar espaços que seriam dedicados a um PDV de bancada.
  • Com os pagamentos sem contato e as carteiras móveis, como o Google Pay e o Apple Pay, os sistemas mPOS também estão mais bem equipados para atender clientes que desejam usar o telefone para pagar.
  • A tecnologia mPOS é significativamente mais barata que um PDV tradicional e conta com modelos de assinaturas baseados em nuvem, com baixos custos  mensais iniciais.
  • Pode ser implantada em complemento aos PDVs tradicionais, em horários de pico ou de tráfego intenso para evitar backups nos registros de vendas, agilizando o atendimento ao cliente.
  • Impulsionar as vendas – vender em qualquer lugar de uma loja ou área de exposição, aproveitando a emoção ou interesse imediato.
  • Reduzir o risco – transações são criptografadas e os dados do cartão de crédito e débito não são armazenados no próprio dispositivo mPOS.
  • Permite que as pequenas empresas aproveitem as tecnologias de segurança e o monitoramento por meio de seus fornecedores de software, que antes estavam disponíveis apenas para grandes empresas.

Contras

  • Os dispositivos móveis e terminais mPOS podem ser alvos de roubo e pirataria.
  • Outra desvantagem dos sistemas mPOS é a duração da bateria dos dispositivos. Quando não conectado a uma fonte de energia, os dispositivos mPOS geralmente não duram um dia inteiro de trabalho.

Carteira Digital

Uma CARTEIRA DIGITAL é um programa de software usado para transações de compra online.  Isso pode incluir a compra de itens on-line com um computador ou o uso de um smartphone para comprar algo em uma loja.

Muitas empresas de soluções de pagamento, oferecem software Wallet (carteira em português) gratuito que permite que vários métodos de pagamento sejam definidos na carteira (por exemplo, vários cartões de crédito diferentes). Como isso funciona:

  • Quando você pede algo, o pedido é enviado ao comerciante (na verdade um servidor do comerciante)
  • O comerciante devolve uma fatura e pede que você lance a Wallet em seu computador (ou baixe-a rapidamente se o consumidor ainda não a tiver).
  • Quando o consumidor seleciona “Pague”, o “software Wallet do servidor” envia uma mensagem de volta ao computador do consumidor que ativa o software “Wallet” do consumidor.
  • O consumidor seleciona um dos cartões definidos no Wallet e clica.
  • A transação inclui autorização em cartão de crédito em tempo real.
  • As credenciais podem ser passadas para o terminal de um comerciante sem fio através de comunicação de campo próximo (NFC).
  • Cada vez mais, as carteiras digitais estão sendo feitas não apenas para transações financeiras básicas, mas também para autenticar as credenciais do titular. Por exemplo, uma carteira digital pode verificar a idade do comprador para a loja ao comprar bebidas alcoólicas.

Tecnologia

Uma carteira digital possui um componente de software e outro de informações. O software fornece segurança e criptografia para as informações pessoais e para a transação real;

  • Normalmente, as carteiras digitais são armazenadas no lado do cliente e são de fácil manutenção e totalmente compatíveis com a maioria dos sites de comércio eletrônico.
  • Uma carteira digital do lado do servidor é aquela que uma organização cria para você e mantém em seus servidores; geram mais segurança, eficiência e utilidade agregada ao usuário final, o que aumenta a satisfação com a compra geral.
  • O componente de informação é basicamente um banco de dados de informações do usuário – endereço de entrega, endereço de cobrança, formas de pagamento (incluindo números de cartão de crédito, datas de validade e números de segurança) e outras informações.
  • As carteiras digitais são compostas por dispositivos de uso dedicado ou de uso geral com NFC (Sansung, Google e Apple).
  • Os sistemas de carteira digital permitem o uso generalizado de transações de carteira digital entre vários fornecedores de varejo na forma de sistemas de pagamentos móveis e aplicativos de carteira digital.

ECML

As carteiras digitais são projetadas para serem precisas ao transferir dados para formulários de checkout de varejo; no entanto, se um determinado site de comércio eletrônico tiver um sistema de verificação peculiar, a carteira digital poderá não reconhecer corretamente os campos do formulário. Esse problema foi eliminado por sites e software de carteira que usam a tecnologia ECML ( Electronic Commerce Modeling Language ) – um protocolo que determina como os varejistas on-line estruturam e configuram seus formulários de pagamento. Os fornecedores de comércio eletrônico participantes que incorporam tecnologia de carteira digital e ECML incluem: Microsoft , Discover , IBM , Omaha Steaks e Dell Computers .

Aplicação e Benefícios de Carteiras Digitais

  • Os consumidores não são obrigados a preencher formulários de pedidos em cada site quando compram um item, porque as informações já foram armazenadas e são atualizadas automaticamente e inseridas nos campos do pedido em sites comerciais ao usar uma carteira digital.
  • Os consumidores também se beneficiam porque suas informações são criptografadas ou protegidas por um código de software privado.
  • Os comerciantes se beneficiam recebendo proteção contra fraude.
  • As carteiras digitais estão disponíveis gratuitamente para os consumidores e são bastante fáceis de obter. Por exemplo, quando um consumidor faz uma compra em um site comercial configurado para lidar com as carteiras digitais do lado do servidor, ele digita seu nome e as informações de pagamento e envio no próprio formulário do comerciante. No final da compra, o consumidor é convidado a se inscrever para uma carteira de sua escolha, digitando um nome de usuário e senha para compras futuras. Os usuários também podem adquirir carteiras no site de um fornecedor de carteira.
  • Os fornecedores cobram dos comerciantes pelas carteiras – podem ser taxas fixas ou variáveis.
  • Mais de 25% dos compradores on-line abandonam o pedido devido à frustração em preencher formulários – a carteira digital combate esse problema, oferecendo aos usuários a opção de transferir suas informações com SEGURANÇA e PRECISÃO. Essa abordagem SIMPLIFICA as transações, resulta em MELHOR USABILIDADE e, por fim, mais UTILIDADE para o cliente.
  • Carteiras digitais aumentam a SEGURANÇA da TRANSAÇÃO já que a carteira normalmente não passa os detalhes do cartão de pagamento para o site (um identificador de transação exclusivo ou um token é compartilhado).

Pagamentos Móveis com Carteiras Digitais

Os pagamentos móveis propõem que você troque sua carteira por um telefone ou, em alguns casos, por um relógio; em vez de carregar dinheiro e cartões, basta tocar no seu telefone para pagar; atualmente, os três sistemas mais estabelecidos são da Apple , Samsung e Google .

O Apple Pay chegou ao Brasil  em abril de 2018, quase dois anos depois do seus principais rivais –  o Samsung Pay estreou em julho de 2016, ao passo que Android Pay (atual Google Pay) começou a ser liberado em novembro de 2017 — a diferença entre estes dois é que o primeiro funciona só nos celulares da empresa sul-coreana e o segundo roda em todos aqueles que possuem o sistema operacional do Google a partir da versão 4.4.

  • Antes de sair às compras, é preciso cadastrar um cartão válido; o registro vai gerar um número de conta único; esse código secreto, após ser criptografado, será enviado em uma compra para que a bandeira de cartão para identificar o cliente.
  • Os 3 sistemas usam NFC – as contas podem ser quitadas ao aproximar celular, relógio e tablet de máquinas de pagamentos equipados com a tecnologia NFC, sinalizados com adesivos.
  • O Samsung Pay usa NFC e uma tecnologia chamada transmissão segura magnética (MST) . Quando você segura o telefone contra qualquer terminal, ele emite um sinal que simula a faixa magnética em um cartão. Essa é uma grande vantagem já que não exige nenhuma manutenção nos dispositivos dos
  • Você não está apenas amarrado ao telefone; todos podem ser usados para pagar contas tanto em lojas físicas quanto em lojas digitais ou mesmo em aplicativos.
  • Os sistemas de pagamento móvel usam um método chamado tokenização para manter os detalhes do cartão seguros; depois de adicionar seus cartões ao aplicativo, ele gera um número de conta virtual e seu número de cartão real nunca é fornecido ao comerciante; quando você toca no telefone para fazer um pagamento, ele envia o número do cartão e um criptograma que age como uma senha; a rede de cartões verifica e processa o pagamento.

Peso do negócio

Por exemplo, na Apple apesar de ter sido criado em 2015, o Apple Pay faz parte da área de negócios que já é a segunda com maior receita.

A desintermediação de bancos

Uma conseqüência direta dessa plataformatização de pagamentos móveis é que ela desintermedia os bancos e as empresas de cartão de crédito dos consumidores. À medida que os aplicativos de pagamento móvel se tornam portais de serviço abrangentes, eles assumem o controle da experiência do usuário e sequestram o relacionamento com o cliente que os bancos e a empresa de cartão de crédito costumavam ter.

Semelhante à forma como o Facebook transformou em commodities numerosos editores e o conteúdo que eles criaram, e os colocou à mercê de seus algoritmos, os bancos e as marcas de cartões de crédito estão rapidamente perdendo seus pontos de diferenciação e arriscando irrelevância para os consumidores.

A perda de relacionamento com o cliente devido à desintermediação não é a única ameaça que os bancos e as empresas de cartão de crédito estão enfrentando. Tal como acontece com muitas das grandes invenções humanas, a conveniência é um fator-chave para as inovações de pagamento e, ao longo da história, os pagamentos sempre foram projetados para se tornarem cada vez mais friccionados. Mudamos de um sistema de permuta para o uso de dinheiro, depois para cheques pessoais, depois para cartões de plástico e agora para aplicativos de smartphones, tudo porque estamos sempre procurando uma maneira mais rápida e fácil de concluir transações. E agora, além do celular, o pagamento está se preparando para desaparecer e se tornar invisível.


 

A  escolha de um desses sistemas de pagamento está vinculada ao ecossistema e à disponibilidade no seu local. Para os usuários da Apple, sua única opção no mundo real é o Apple Pay, enquanto os usuários do Android devem usar o Google Pay. Os proprietários da Samsung podem escolher entre o Samsung Pay ou o Google Pay. Você pode ter os dois em seu telefone, mas precisará definir um como padrão e alterar essa configuração se quiser usar o outro.


Saiba mais. Amazon e automação de lojas;


Saiba mais. Mobilidade; Mobilidade e ValorBYOD – Bring Your Own DeviceMDM – Mobile Device ManagementM2M – Machine to MachineMobilidade e Unified CommunicationMobile PaymentTopologia Móvel CorporativaRFID – Radio Frequency Identification.


Saiba mais. SmartPhones – Comparação de smartphones, Android x IoSSegurança e MobilidadeSegurança em smartphonesSegurança de aplicativos em smartphonesApps de Segurança – Android?


RFID – Radio Frequency Identification

O que é RFID e qual a sua vantagem frente ao sistema de código de barras?

RFID é uma tecnologia que incorpora o uso de rádio frequência para identificar um objeto, animal ou pessoa. Vem em crescente uso na indústria como uma alternativa para o código de barras. A vantagem do RFID é que não requer contato direto nem visada direta.

Um sistema RFID é composto por três componentes: uma antena e um transceptor (muitas vezes combinados em um leitor) e um transponder (uma etiqueta ou tag RFID, pequeno objeto que pode ser colocado em uma pessoa, animal, equipamento, embalagem ou produto, dentre outros. Contém chips de silício e antenas que lhe permite responder aos sinais de rádio enviados por uma base transmissora. Além das etiquetas passivas, que respondem ao sinal enviado pela base transmissora, existem ainda as etiquetas semi passivas e as ativas, dotadas de bateria, que lhes permite enviar o próprio sinal.

A antena utiliza ondas de rádio frequência para transmitir um sinal que ativa a etiqueta. Quando ativada, a etiqueta transmite os dados para a antena. Os dados são usados para notificar um controlador que uma ação deve ocorrer. A ação pode ser tão simples como criar uma porta de acesso ou tão complicada como “interfacear” com um banco de dados para realizar uma transação monetária.

Sistemas RFID de baixa frequência (30 KHz a 500 KHz) têm curto alcance (geralmente menos de 2 metros). Sistemas RFID de alta frequência (850 MHz a 950 MHz e 2.4 GHz a 2.5 GHz) oferecem maiores distâncias de transmissão (mais de 30 metros). Em geral, quanto maior a frequência, mais caro o sistema.


Saiba mais. Mobilidade; Mobilidade e ValorBYOD – Bring Your Own DeviceMDM – Mobile Device ManagementM2M – Machine to MachineMobilidade e Unified CommunicationMobile PaymentTopologia Móvel CorporativaRFID – Radio Frequency Identification.


Saiba mais. SmartPhones – Comparação de smartphones, Android x IoSSegurança e MobilidadeSegurança em smartphonesSegurança de aplicativos em smartphonesApps de Segurança – Android?


Topologia Móvel Corporativa

Como é a topologia móvel de uma grande corporação?

 A intensificação de projetos de TI focados em mobilidade tem aumentado significativamente, impulsionada pelas oportunidades vislumbradas diante da massificação dos dispositivos móveis, como smartphones e tablets.
A tecnologia móvel possibilita agilidade e precisão com leitura de códigos, otimização com geo referenciamento, sincronismo online e remoto de informações, disponibilidade para coleta em regiões sem cobertura de rede, são bons exemplos de funcionalidades que trazem benefícios para os processos de uma organização, reduzindo custos, agilizando a operação, elevando a qualidade, entre outros.
A topologia móvel, das pequenas às grandes empresas, têm que atender um perfil esperado GEEDDS – Gerência, Economia, Escalabilidade, Disponibilidade, Desempenho e Segurança.
A figura acima ilustra uma estrutura de mobilidade de uma empresa de grande porte, com 5 camadas: Aplicações de Negócio, Rede Corporativa, Middleware, Rede de Acesso e Dispositivos.
Middleware é um termo geral para o software que serve para conectar sistemas de software. O middleware é um programa intermediário que medeia atividades de back end (interface com aplicação interna interna) e atividades de front end (interface com a aplicação do usuário). Logo, middleware mobile é o software que permite a conexão e interação entre variados sistemas, programas e aplicações móveis de provedores diferentes. Alguns componentes de software que são frequentemente relacionados com middleware incluem a integração de aplicações empresariais e serviços Web.
O papel do middleware móvel é cada vez mais importante para diversas plataformas e dispositivos entrarem no espaço móvel. Como resultado, muitos fornecedores de middleware móvel oferecem serviços de desenvolvimento para lidar com um mercado de hardware e software móvel de rápido crescimento. Adicionalmente, permite que arquitetos e desenvolvedores reutilizem a mesma  lógica back-end para vários dispositivos móveis, sem a necessidade de reescrever back-ends para cada dispositivo.

Saiba mais. SmartPhones – Comparação de smartphones, Android x IoSSegurança e MobilidadeSegurança em smartphonesSegurança de aplicativos em smartphonesApps de Segurança – Android?


 

Saiba mais. Internet Banda Larga – Bits e BytesWi-fi e interferênciasEthernet x Wi-fiPrevisão de Consumo de DadosJogos on lineSLAs Internet Banda Larga10 giga bytes por mêsConsumo Internet Celular5 Gigabytes por mêsPrevisão de Consumo de Dados