Ic – Inteligência Emocional

IC – Inteligência Emocional

Porque a Inteligência Emocional é apontada como a causa mais frequente do sucesso das pessoas?

A “inteligência emocional” é um conjunto de habilidades emocionais, ou interpessoais que permite uma pessoa interagir com outras, comportar-se, administrar-se.

É a forma que vivemos nossa vida diária. São qualidades comportamentais que demonstramos, são exigidas em tudo que fazemos  e são mais difíceis de definir, avaliar e desenvolver do que as habilidades técnicas.


Mapa Mental da Inteligência Emocional

Veja a figura. O mapa mental dá uma visão de helicóptero do posicionamento da inteligência emocional representada por 5 habilidades fundamentais: autoconsciência, autocontrole, motivação, empatia e sociabilidade.


Importância da inteligência emocional

A inteligência emocional provou ser duas vezes mais importante do que o QI e habilidades técnicas, nos resultados de pesquisas de Goleman , autor do conhecido livro Inteligência Emocional, que descreve a inteligência emocional centrada em 5 “habilidades fundamentais” – autoconsciência, autocontrole, motivação, empatia e sociabilidade. Essas habilidades emocionais, segundo suas pesquisas, são destacadamente encontradas nos líderes, ns níveis mais altos das empresas, as diferenças nas habilidades técnicas são de importância insignificante; quanto maior a classificação de uma pessoa considerada  “estrela”, as capacidades de inteligência emocional apareceram  mais como o motivo da sua eficácia. 


Fórmula da IE

IE =  AUTO CONSCIÊNCIA +  AUTO CONTROLE + MOTIVAÇÃO  + EMPATIA + SOCIABILIDADE


A Inteligência emocional pode ser representada por 5 habilidades referência: autoconsciência, autocontrole, motivação, empatia e sociabilidade.


Saiba mais. Inteligência CompetitivaHabilidades Técnicas e EmocionaisHabilidades Emocionais


 

 

Autoconsciência

O que é Autoconsciência?

Autoconsciência é a capacidade de uma pessoa conhecer e perceber a si mesma …

Perceber e controlar pensamentos e emoções. Uma pessoa com bom nível de autoconsciência tem autoavaliações realistas. É honesta consigo mesma sem ser demasiadamente crítica ou esperançosa. Equilibra bem todos os componentes da IE: autoconsciência, autocontrole, motivação, empatia  e sociabilidade.


Características das pessoas com autoconsciência

A autoconsciência pode ser vista como o nosso sistema de crenças e valores morais. Funciona como um filtro para aprovar ou desaprovar condutas, atos e intenções próprias ou de outras pessoas, diagnosticar uma situação, saber o que deve ser feito e se temos condições e capacidades técnicas e emocionais para atender as expectativas. É a auto consciência que conecta eventos externos e internos com emoções, sentimentos e comportamentos. Evolui com a idade, pode ser desenvolvida e está altamente relacionada com moral (conjunto de valores) e ética (investigação e avaliação da moral).


Fórmula da Autoconsciência

Autoconsciência – reflexão + percepção +  equilíbrio + compreensão de si mesmo + valores + crenças.


Benefícios da autoconsciência

A autoconsciência gera vantagem, ajuda, melhoria em várias atividades e  outras habilidades emocionais. Em destaque:

  • Percepção. A autoconsciência reconhece onde os nossos pensamentos e emoções estão nos levando e ajuda a fazer mudanças
  • Liderança. Desenvolve a capacidade de liderar com propósito, confiança, autenticidade e abertura.
  • Eficácia.  A autoconsciência prioriza as questões mais importantes para atingir o resultado esperado.
  • Aprendizado. Ajuda a criar ferramentas mentais para resolver necessidades e problemas de forma mais eficiente.
  • Confiança. A autoconsciência cria caminhos mentais alternativos e gera resiliência e flexibilidade para atingir objetivos.
  • Autocontrole. A autoconsciência estabelece as regras de referência para o autocontrole.
  • Motivação. A autoconsciência controla e direciona pensamentos, sentimentos e comportamentos para gerar equilíbrio e motivar ações.
  • Criatividade.  A autoconsciência nos faz enxergar a nós mesmos e o mundo por vários ângulos; perceber novos valores e novas soluções.
  • Simplificação. A auto consciência contribui para otimizar processos, reduzir desperdícios, custos e gerar economia.
  • Outros

Check list para Desenvolver a Autoconsciência


Uma boa prática para desenvolver a inteligência emocional e a autoconsciência é ganharmos o hábito de refletir e avaliar sobre os nossos pontos fortes e fracos com relação aos 5 componentes da ICconhecer a ofertafluência situacionalfazer contatos,  atingir metas e inteligência emocional.

  • Fazer boas perguntas para nós mesmos e não bloquearmos a nossa resposta mental.
  • Escrever e registrar pensamentos, planos e objetivos. O que é mais importante fazer agora?
  • Reservar tempo para fazer reflexão e planejamento diário. Qual o meu objetivo? plano de ação? desempenho? ajustes?
  • Buscar ouvir feedback de outras pessoas.

Saiba maisAutoconsciência em vendas, IE e Boas práticas.


 

Autocontrole

O que é auto controle?

O autocontrole é a capacidade mental de uma pessoa para controlar a si mesma, comportamentos e desejos

Sistematicamente avaliar o planejado com o realizado. É uma espécie de “conversa interior” que livra-nos de sermos prisioneiros dos nossos sentimentos. Pessoas que tem autocontrole têm os mesmos sentimentos que qualquer um, mas usam “processos mentais de autocontrole” para criar caminhos úteis e eficientes para atingir seus objetivos.


Características das pessoas com autocontrole

Tal como acontece com a habilidade de autoconsciência, o autocontrole frequentemente não é visto como deveria ser visto. Muitas vezes é considerado como “falta de paixão”. Muitas vezes pessoas temperamentais são vistas como líderes. Entretanto, esse não é um traço real.


Fórmula do autocontrole

Autocontrole = controlar a si próprio + domínio + corretismo + consistência + estabilidade +  previsibilidade + precisão


Benefícios do autocontrole

O autocontrole está altamente relacionado à várias outras habilidades e influi, ajuda, melhora coopera, com várias outras habilidades emocionais. Em destaque:

  • Confiança e serenidade. O autocontrole contribui para melhorar o ambiente e a interação com as pessoas. Quando temos controle, os conflitos e objeções são reduzidos e a produtividade aumenta.
  • Competitividade. O ambiente moderno é caracterizado por “rápidas mudanças”. Pessoas  habilidosas em controlar suas emoções, também o são para conviver com as mudanças e situações novas. As pessoas com autocontrole não entram em pânico, não ficam em posição de julgamento, buscam informações e escutam para entender as novas diretrizes.
  • Produtividade. O autocontrole contribui para alinhar, aumentar eficiência, reduzir riscos e tempo das tarefas e contatos. Contribui para fazer mais contatos, identificar mais oportunidades, converter mais vendas e aumentar o ticket de venda. Conseguimos fazer mais com menos.
  • Precisão. O autocontrole contribui para  regularidade da execução de uma tarefa e estabilidade nos resultados.
  • Proatividade. O auto controle gera busca por mudanças e melhorias no ambiente de trabalho e cumprimento de metas

Boas práticas para desenvolver o autocontrole


  • Listar os comportamentos que gostaríamos de controlar e as situações, para quando acontecerem estarmos mais preparados para refletir antes de agir.
  • Tratar as mudanças de comportamentos de forma gradativa.
  • Estabelecer metas realistas que sejam alcançáveis. Mudar hábitos leva tempo, e construir autocontrole requer esforço. 
  • Buscar conhecimento sobre as práticas de autocontrole.
  • Controlar a respiração diante de situações, impulsos e desejos, para retardar ações ou comportamentos que queremos controlar ou separar  desejos de necessidades.
  • Encontrar distrações saudáveis para tratar desejos ou comportamentos prejudiciais.

 

Uma boa prática de autocontrole é estabelecer objetivos e usar processos, métodos e ferramentas para atingí-lo.

Processos têm a capacidade de armazenar conhecimentos, habilidades e comportamentos, de forma acumulativa e orientar os próximos passos. 


Saiba mais. Inteligência emocional, PDCA, Plano de Contato, Precisão.


 

Motivação

O que é motivação e qual a sua utilidade?

A Motivação é um impulso interno que “motiva a ação” e influencia a conduta e disposição de uma pessoa para atingir um objetivo

É uma espécie de energia psicológica. Assim, a principal questão da psicologia da motivação é entender porque nos comportamos de determinada maneira. Ou o que deve ser feito para influenciar uma pessoa agir de uma determinada maneira.


Características das pessoas com motivação


Fórmula da Motivação

Motivação = ânimo + desafio + encorajamento + estímulo + impulso + incentivo  + necessidade + objetivo + vontade.


Motivação e Necessidades.

Segundo a teoria de Maslow (muito conhecida e aceita), o ser humano na sua essência busca satisfazer necessidades em 5 níveis de prioridades: Fisiológico –>   Segurança –> Filiação –> Estima –> Auto realização; quando a pessoa tem uma determinada necessidade, todo organismo (inteligência, memória e percepção) é orientado para supri-la; quando uma necessidade é satisfeita focamos na próxima necessidade, seguindo a hierarquia de 5 níveis; quanto maior o fluxo de necessidades, maior é a motivação.


A motivação está associada a “alcançar fatores internos e externos”. 

As pessoas motivadas buscam desafios criativos, amam aprender e têm bastante orgulho de um trabalho bem feito. Querem melhorar as coisas, explorar novas abordagens para o trabalho e para a vida. Gostam de monitorar o progresso de si próprias, do time e da empresa. São geralmente pessoas com autocontrole, principalmente quando os resultados não são alcançados e a frustração precisa ser vencida. Motivação tem alta relação com comprometimento, que tem alta relação com fidelidade. A motivação pode vir de estímulos internos (automotivação) e externos. A maioria das pessoas precisam de estímulos externos para mudar. Pessoas auto motivadas, estão sempre em processo de mudança, buscando satisfazer novos níveis de necessidades e são muitos valorizadas no mercado.

Determinadas atividades, pela sua natureza, exigem mais motivação. Outras não. Por exemplo, demandamos mais da motivação em situações de competição. Atividades que requerem maior precisão, pensamentos complexos, autocontrole, serão prejudicadas por excesso de motivação. A competição é uma excelente forma de motivação.


Benefícios da Motivação

  • Gerar a energia que suporta as nossas ações, emoções, sentimentos, atenção, vontade.
  • Aumentar o compromisso com os objetivos e com isso ajudar o crescimento pessoal e profissional.
  • Melhorar a qualidade de vida e de saúde, pela busca constante de satisfazer níveis mais altos de necessidades.
  • Otimizar o tempo e aumentar a produtividade devido ao maior foco e maior organização das  tarefas.
  • Crescer a autoestima por se sentir melhor consigo mesmo, pelos avanços conscientes dos níveis de necessidades.
  • Atrair e motivar outras pessoas pela “energia e brilho da motivação”.

Boas práticas para Desenvolver a Motivação


  • Definir objetivos e metas pessoais e profissionais.
  • Alinhar metas pessoais e profissionais para evitar objetivos conflitantes, que geram conflitos e desmotivam.
  • Compartilhar objetivos com pessoas que confiamos, para criar um sistema de suporte e aumentar a responsabilidade para alcançá-los.
  • Prospectar oportunidades para o crescimento pessoal e profissional – promoção, mobilidade profissional ascendente e liderança.
  • Focar num plano de carreira seguro ao invés de  focar em salário. Segurança no trabalho é um motivador mais efetivo do que os benefícios financeiros.
  • Investir em boas práticas para aprender e aplicar novos conhecimentos, habilidades e  comportamentos para gerar novas necessidades e objetivos.
  • Buscar trabalhos desafiadores e gratificante para motivar a conclusão das tarefas.
  • Buscar feedback para aumentar o moral, a motivação e o desempenho.
  • Criar rotinas pessoas – reflexão, meditação, exercícios, lazer – para manter a inspiração e vontade para avançar em direção ao objetivo.
  • Aprender ser otimista. Reconhecer os momentos de pessimismo. Refletir sobre as causas do pessimismo, sem bloquear os pensamentos.  Livrar-se da negatividade para criar mais espaço para motivação e inspiração.

Saiba mais. PlanejamentoObjetivos e Metas, Objetivos SMART, Alinhamento de Objetivos, Atingir metas


 

Empatia

O que é empatia e quais seus benefícios?

Empatia é a capacidade de entender os sentimentos da outra pessoa, imaginar-se na situação dela.

Muitas vezes empatia é referida como a capacidade de ajudar. Para tal, é necessário combinar várias habilidades: saber escutar, sentir o que a outra pessoa sente, perguntar, alinhar comportamentos. Empatia pode significar o oposto da antipatia. A palavra empatia tem origem da palavra grega “empatheia”, que significa paixão. Ou seja, para medir o nosso nível de empatia, uma boa prática é avaliar se o contato com outra pessoa foi prazeroso.


Características das pessoas com empatia


Fórmula da Empatia

Empatia = olhar + escutar + perguntar + sentir + alinhar + ajudar 


Benefícios da Empatia

A empatia é fundamental para o relacionamento interpessoal, trabalho em times, a necessidade de reter talentos próximos a nós, melhorar quem somos  através da percepção dos feedbacks das pessoas. Veja importantes benefícios da empatia:

  • Entender e sentir as outras pessoas e melhorar os relacionamentos.
  • Atrair as pessoas pelo interesse verdadeiro em entender seus objetivos,  necessidadessentimentosemoções comportamentos.
  • Aumentar a capacidade de ajudar os outros e a nós mesmos.
  • Estabelecer relações interpessoais prazerosas.
  • Gerar confiança pela atenção e vontade de ajudar.
  • Melhorar a comunicação, conflitos e objeções, pelo fato de considerar o ponto de vista das outras pessoas.
  • Valorizar as nossas opiniões e soluções pelo fato de demonstrar respeito e interesse pelo outro.

Boas práticas para Desenvolver a Empatia


  • Sorrir de forma sincera para sinalizar que está à disposição e com vontade de se conectar.
  • Prestar atenção na outra pessoa, olhar nos olhos para manter a conexão ativa.
  • Perguntar para entender valores, preferências, sentimentos das pessoas.
  • Saber escutar e não interromper o fluxo da fala e “derrubar a conexão”.
  • Fazer perguntas abertas para fazer a outra pessoa falar no início do contato. Por exemplo, Qual a situação?
  • Fazer perguntas de controle (ou semi abertas) para fazer a outra pessoa falar sobre uma questão específica. Por exemplo, poderia explicar esse problema específico?
  • Fazer perguntas fechadas para fazer a outra pessoa decidir.
  • Respeitar o ponto de vista da outra pessoa. Não confrontar nem com palavras nem com gestos.
  • Não fazer julgamentos. O julgamento afasta as pessoas.
  • Buscar entender o porquê das ações das pessoas e se têm ligação com o nosso comportamento.

Saiba mais. Empatia em vendas,  Inteligência emocional.  Metas e alinhamentoExercício: Engrenagens da Inteligência CompetitivaExercício: Alinhamento de objetivos e habilidades. Alinhar a venda com a compra.


 

Sociabilidade

O que é Sociabilidade e qual a sua importância?

Sociabilidade é a habilidade de ser amigável com um propósito: mover pessoas na direção que você deseja.

Isso não é tão simples quanto parece. Não significa apenas ser amigável.

A autoconsciência, autocontrole e motivação são habilidades de auto gerenciamento. Já empatia e sociabilidade são habilidades interpessoais. Pessoas com habilidades sociais tendem a ter grande círculo de relacionamento e serem efetivas na gestão de relacionamentos. Isso não significa socialização continua. É acreditar que nada importante é feito sozinho e precisamos de uma rede de relacionamento para usá-la quando chegar o momento da ação.


Características das pessoas sociáveis

A sociabilidade é resultado das outras dimensões da inteligência emocional

As pessoas tendem a ser eficazes no gerenciamento de relacionamentos quando elas entendem (autoconsciência) e controlam (autocontrole) suas próprias emoções e entendem os sentimentos dos outros (empatia). A motivação contribui para a sociabilidade. Lembre-se de que as pessoas levadas a alcançar alguma coisa tendem a ser otimistas, mesmo em face de contratempos ou falhas. Quando as pessoas estão animadas, seu “brilho interior” é lançado sobre conversas e outros encontros sociais. Pessoas com habilidade social tendem a ser gerentes  e bons na persuasão – que é uma combinação de autoconsciência, autocontrole e empatia. Pelo fato da habilidade social ser um produto das outras dimensões emocionais, ela é bastante valorizada.

O que é dito é influenciado pela linguagem verbal e pelo modo como a usamos o tom de voz, volume de fala e as palavras que escolhemos, bem como por mensagens mais sutis, como linguagem corporal e gestos.


Fórmula da Sociabilidade

Sociabilidade = Autoconsciência + Autocontrole + Motivação + Empatia


Benefícios da Sociabilidade

  • Melhorar e ampliar a rede de relacionamento.
  • Avançar na carreira e obter posições de liderança.
  • Melhorar a persuasão e levar outra pessoa (ou a si mesmo) a acreditar ou fazer alguma coisa.
  • Motivar pessoas a seguir as suas imagens de solução.
  • Melhorar a comunicação para transmitir os pensamentos e idéias de forma sucinta e objetiva.
  • Mais eficácia e eficiência (efetividade), pelo fato de saber selecionar e investir o tempo nas pessoas certas

Check List para Desenvolver a Sociabilidade


O desenvolvimento de habilidades sociais foca em como nos comunicamos com os outros, habilidade de explorar os métodos de comunicação, as mensagens que enviamos e como podem ser melhorados para tornar a nossa comunicação mais eficiente e efetiva.

  • Estudar o comportamento humano. Buscar uma compreensão geral do porquê e da forma como as pessoas reagem a determinadas situações.
  • Melhorar a aparência. Prestar atenção e olhar melhor para si mesmo nos faz sentir melhor e aumenta o nosso brilho interior. Essa energia positiva é irradiada para os outros.
  • Sorrir. O sorriso faz você parecer mais amigável e simpático; pronto e com vontade de receber a outra pessoa.
  • Encontrar similaridades. Ao falar com alguém, tente encontrar algo em comum. As semelhanças atraem as pessoas.
  • Habilidade de escutar. Prestar atenção ao outro sem desviar a atenção. Não findar as sentenças ou interromper a comunicação da outra pessoa. Isso demonstra que você valoriza e respeita a outra pessoa e valorizará a sua comunicação pelo sentimento recíproco do outro.
  • Linguagem Corporal. Conscientizar-se da sua linguagem corporal e daqueles com quem você está interagindo,  para saber realmente o que o outro pensa sobre você, e se você precisa ou não ajustar sua postura e seus métodos de comunicação.
  • Perguntar. Se você realmente quer alguma coisa, não tenha medo de perguntar ou pedir isso. Muitas vezes, não recebemos o que queremos, porque temos medo ou não sabemos perguntar.
  • Não falar demais. Evite assumir a conversa falando demais. Permita espaço suficiente para a outra pessoa adicionar à conversa.

Em geral, é reconhecido que as habilidades sociais são mais difíceis de alcançar e mais difíceis de mudar quando as pessoas envelhecem, então quanto mais cedo começar, melhor.


Saiba mais. Sociabilidade em vendas


 

Matriz de Valor Emocional

Como gerenciar o desenvolvimento da inteligência emocional?

A inteligência emocional deve ser desenvolvida de forma consciente, controlada e gradativa; via ferramentas mentais.

  • Quais as habilidades emocionais mais valorizadas? Como se relacionam? Como são percebidas?
  • Quais são as mais importantes no momento?
  • Como diagnosticar o nível de inteligência emocional?
  • Como desenvolver desenvolver inteligência emocional?

 


A matriz emocional  tem 2 objetivos

  1. Avaliar quais habilidades emocionais são mais importantes.
  2. Desenvolver habilidades e ações específicas para ganhar vantagem competitiva nas relações interpessoais.

Vide figura. A matriz emocional é uma ferramenta que ajuda a desenvolver o controle emocional; É um check list estruturado em 5 grupos de “habilidades de referência” e “habilidades sinônimas”; organiza as habilidades emocionais na nossa mente; ajuda a memorizar significados e relacionamentos; facilita a reflexão, identificação de habilidades mais importantes para o modelo de negócio, ou para uma determinada situação ou contato; avalia a curva emocional corrente e ajuda a desenvolver a curva emocional futura.


Para transformar a matriz emocional numa ferramenta do dia a dia é necessário  instrumentação: adaptar a ferramenta e cultivar práticas pessoais para usá-la de forma produtiva e  construir o conhecimento.


Check List. Habilidades emocionais mais frequentes


Descrição das +60 habilidades emocionais demandadas pelas empresas e pessoas.

  1. Adaptação – adequação, ajuste; ambientação; alteração, modificação, transformação.
  2. Administração – controle, direção, gerência, governo, tutela.
  3. Ajuda – auxílio, assistência, colaboração, beneficiamento, participação.
  4. Alinhamento – sincronização, acompanhamento, composição, equiparação, adesão, concordância.
  5. Análise – diagnóstico, exame, estudo, investigação, pesquisa, observação, verificação.
  6. Ânimo – confiança, coragem, decisão, desejo, determinação, energia, força, resolução, valentia, valor.
  7. Aprendizado –  conhecimento, estudo, aquisição, instrução, exercício, experiência.
  8. Assertividade – autoconfiança, autoestima, clareza, decisão, firmeza, objetividade, posicionamento, segurança, transparência.
  9. Atenção – concentração; cuidado, dedicação; consideração, importância, vontade.
  10. Atitude positiva – confiança, entusiasmo, felicidade, otimismo.
  11. Autoconsciência – reflexão, percepção, equilibrar pensamentos, sentimentos e emoções; compreender a si mesmo; valores e crenças.
  12. Autocontrole –  controlar a si próprio,  domínio, corretismo, consistência.
  13. Autoestima – amor-próprio, brio, altivez, dignidade, entono, honra, honradez, orgulho,
  14. Autonomia – independência, liberdade, autogoverno, autossuficiência, emancipação, soberania.
  15. Avaliação – análise, parecer, opinião, estimativa, exame.
  16. Bom Senso – adequação, cabimento, cautela, critério, discrição, ponderação, prudência, razoabilidade, sabedoria.
  17. Colaboração – contribuir para realizar algo ou ajudar alguém a alcançar um objetivo.
  18. Comprometimento – compromisso,  engajamento,  entrega,  responsabilidade, participação, promessa, obrigação, pacto.
  19. Comunicação – capacidade de falar oral, escrita, apresentação, escuta.
  20. Comunicação corporal – capacidade de se expressar, perceber, controlar a linguagem corporal.
  21. Comunicação escrita – escritos objetivos, ajustados, claros,  lógicos.
  22. Comunicação verbal – escutar, sentir o outro, clareza, adequação da mensagem, facilitar o entendimento.
  23. Conduta – atitude, atuação, comportamento, maneira, procedimento.
  24. Confiança – assertividade, autoestima, clareza, crença, decisão, firmeza, posicionamento.
  25. Coragem – bravura; determinação, perseverança; atrevimento; hombridade.
  26. Cortesia – conduta, etiqueta, gentileza, polidez, educação, cordialidade, delicadeza.
  27. Crenças – opiniões, idéias, conceitos, convicções, posições, teses, pontos de vista, teorias.
  28. Criatividadeão – inventar, imaginar, inovar, diferenciar.
  29. Decisão – deliberação, resolução, parecer, juízo, definição, escolha, confiança, firmeza.
  30. Disciplina – obediência, respeito, cumprimento, hierarquia, regulamentos , planos.
  31. Disposição – estado de espírito favorável; vontade, animação, entusiasmo.
  32. Domínio – comandar, superar, influenciar.
  33. Emoção – sensação, impressão, abalo, comoção, perturbação, sentimento.
  34. Empatia – compreensão emocional, entendimento, afinidade, sintonia, alinhamento.
  35. Empreendimento – idealizar, coordenar, realizar projetos, serviços e negócios.
  36. Entendimento – compreender, perceber; escutar, ouvir, interpretar; prática
  37. Entusiasmo – prazer, euforia, alegria, bem-estar, bom humor, força interior.
  38. Equilíbrio – constância, estabilidade, firmeza, imobilidade, inalterabilidade;
  39. Escutar – ouvir; perceber, sentir, atentar, seguir, atender, acatar.
  40. Espontaneidade – natural, simples,  sincero, verdadeiro, automático.
  41. Ética – seguir regras, preceitos, princípios morais;
  42. Flexibilidade – adaptabilidade, vontade de mudar, ensinável.
  43. Fidelidade – lealdade, constância de hábitos e atitudes; respeito por alguém ou algo.
  44. Gerência – coordenação, controle, comando, administração, gestão.
  45. Humor – estado de espírito ou de ânimo.
  46. Instrução – informação, orientação, conhecimento, estudo, treino, organização.
  47. Integridade – honestidade; completude; perfeição.
  48. Interesse – benefício, utilidade, importância, atenção, afeição, atrativo , curiosidade, disposição, vontade; cobiça, ambição, individualismo;
  49. Liderança – autoconsciência, autocontrole, motivação, empatia, sociabilidade.
  50. Motivação –  incentivo, encorajamento, estímulo, impulso, ânimo, vontade.
  51. Negociação – Capacidade de chegar a um acordo em situações de conflito.
  52. Olhar – admirar, avistar, considerar, notar, observar, perceber, seguir.
  53. Organização – arrumar, ordenar, sistematizar, criar referências.
  54. Otimismo – ver pelo lado bom; esperar uma solução favorável, mesmo nas situações mais difíceis.
  55. Percepção – assimilação, compreensão, entendimento, conhecimento, discernimento, juízo, clareza.
  56. Persistência – constância, perseverança, tenacidade.
  57. Persuasão – levar outra pessoa (ou a si mesmo) a acreditar ou fazer alguma coisa.
  58. Proatividade –  iniciativa, dedicação, presteza, prontidão, eficiência, eficácia, agilidade, dinamismo.
  59. Profissionalismo – especialização, perícia, técnica, responsabilidade, capacitação, competente, conhecedor, destro, idôneo
  60. Rapport – alinhar emocionalmente com outra pessoa; sintonizar; magnetismo, encantamento.
  61. Realização – ação, consumação, efeito, efetuação, prática, ascensão, melhoria e progresso.
  62. Reflexão –  ponderação, observação, análise, estudo, consideração, argumento, ensaio; prudência, cautela;
  63. Relacionamento – amizade, convivência, convívio, trato, contato; relação, união, aventura,
  64. Resolução – resposta, solução, decisão, determinação, desenvoltura.
  65. Respeito – admirar; reverenciar, honrar; obedecer, acatar.
  66. Sentir – constatar, identificar, notar, perceber; experimentar; pressentir, prever.
  67. Sociabilidade –  relacionamento, comunicação, influenciar, persuadir.
  68. Sorriso – transparecer de modo agradável; mostrar-se radioso; agradar, animar, esperançar, estimular, satisfazer.
  69. Simplicidade –  clareza, descomplicação, facilidade, inteligibilidade, natural, simples.
  70. Valores – princípios, padrões, crenças, convicções, opiniões, conceitos, habilidades, riquezas, posses, pertences, rendimentos.
  71. Outros

Este check list, ou vocabulário de habilidades emocionais e suas habilidades sinônimas provê uma visão compactada das milhares de combinações de habilidades emocionais.  Permite definirmos as habilidades em função das outras; entender seus relacionamentos.


 5WIH – Como usar a Matriz Emocional

  • Quem  faz? (Who) – todas as pessoas que querem dar atenção, refletir e desenvolver habilidades emocionais para melhorar os contatos interpessoais e de vendas.
  • O que faz?  (What) – auto diagnosticar o perfil emocional de si e de outras pessoas; desenvolver estratégias e ações de alinhamento comportamental com outras pessoas.
  • Onde faz? (Where) – no ambiente de tarefas.
  • Quando  faz? (When) – exercícios e avaliações diárias;  antes dos contatos para dar fluência situacional; após os contatos para avaliar resultados e fazer ajustes.
  • Porque faz? (Why) – desenvolver a inteligência emocional, aumentar a percepção sobre nós mesmos, ajudar o alinhamento emocional com as pessoas, nos contatos e ambientes de tarefas.
  • Como faz? (How) – 1) usar a ferramenta “mapa emocional de referência” (+60 atributos); 2) reduzir o mapa para “5 habilidades por coluna” para efeito de adequação da ferramenta  (5 x 5 = 25 atributos), 3) Selecionar 5 habilidades mais importantes dentre as 25 4) selecionar a habilidade mais importante dentre as 5, 5) Exercitar a habilidade mais importante do “funil de habilidades”.

Funil de Habilidades

O funil de habilidades representa o balanceamento emocional que devemos fazer continuamente para desenvolver  e manter  o bom nível emocional nas situações e contatos do dia a dia. Isso exige foco, exercício, aplicação, avaliação e ajustes contínuos, para que possamos perceber e agir de forma espontânea e efetiva nos nossos relacionamentos pessoais e empresariais.

Uma boa prática é  desenvolver a inteligência emocional em planos diferentes tal como ilustrado na figura; organizar a evolução; criar rotinas; fazer reflexões rápidas sobre o estado emocional, traçar referências, evoluir e chegar onde queremos.


 

Desenvolver uma habilidade específica depende do desenvolvimento de um grupo de habilidades sinônimas, que estão no seu entorno, tal como acontece no desenvolvimento da musculatura corporal. 


 Ferramenta cognitiva, Funções das ferramentas cognitivas, Ferramentas da IC, Inteligência Emocional, Inteligência competitiva.