Cadeia de Valor

Análise da Cadeia de Valor Interna

Figura. Cadeia de Valor Interna

A figura descreve a famosa ferramenta de planejamento denominada “cadeia de valor de uma organização” popularizada por Michel Porter; esta ferramenta é valiosa para o entendimento e descrição sumária do processo de negócio das empresas:

  • A parte de baixo ilustra as atividades primárias, também chamadas de atividades núcleo (core business) – os bens ou serviços que entram na organização, passando pelas operações e fluindo para o mercado, via as estruturas e serviços de distribuição, marketing, vendas e serviços.
  • Posicionados acima desses “processos núcleo” estão as atividades de suporte empresariais, tais como recursos humanos, compras e assim por diante.

O objetivo desta análise é explorar questões e problemas enfrentados pelas empresas com o objetivo de resolvê-los:

  • Como os bens e serviços são entregues?
  • Onde são armazenados?
  • Como são transportados?
  • Como são desempacotados?
  • Como são usados?

Cadeia de Valor Primária

A figura abaixo é uma ilustração bem simples de algumas dessas questões e como poderiam ser melhoradas e representarem fontes de diferenciação na cadeia de valor. Veja exemplos de diferenciação na cadeia primária:

Figura. Cadeia de Valor Primária. Exemplos de fontes de diferenciação de processos.

Cadeia de Valor Secundária

Veja exemplos de diferenciação nas atividades de suporte:

Cadeia de Valor Secundária. Exemplo de diferenciação de processos secundários.

Todas as informações geradas pela análise da cadeia de valor interna podem ser sumarizadas em 4 categorias, na Tabela Sumário de Oportunidades na Cadeia de Valor, apresentada abaixo:

Oportunidades na Cadeia de Valor

 

Michael Eugene Porter (nascido em 23 de maio de 1947) é um acadêmico americano conhecido por suas teorias sobre economia, estratégia de negócios e causas sociais.

Os comentários estão fechados.

Navegação pelos artigos