Inteligência Emocional e Boas Práticas

Boas desenvolver a Inteligência Emocional?

10 boas práticas para desenvolver a inteligência emocional.


1. Reservar tempo para refletir

Pensar em você mesmo é o primeiro passo para ganhar inteligência emocional. Só desenvolvemos aquilo que damos atenção. Precisamos adquirir o hábito de tocar as nossas   emoções em determinados momentos em todos os dias, para nos mantermos autoconscientes,  autocontroladosmotivadosempáticos e sociáveis. Uma boa prática é criar momentos de reflexão ao acordar, ao se alimentar, entre os contatos …, meditar.  


2. Prestar atenção ao corpo e linguagem corporal

Nossa mente e corpo estão conectados. Podemos aumentar a IE aprendendo a “ler pistas físicas” que indicam quais emoções estamos sentindo. Por exemplo: Eu  controlo a minha respiração? Sinto o meu corpo? Quais são os efeitos do ambiente no meu corpo e na minha respiração? Sinto harmonia nos meus movimentos? Eu trato bem do meu corpo? 


3. Observar as reações emocionais.

Emoções são informações. Se ignoramos os sentimentos e emoções perdemos muita informação, que tem grande efeito na forma como nos comportamos. Quais são as minhas primeiras emoções ao acordar e antes de adormecer? O que me emociona? Qual a minha emoção agora? Como me sinto com essa  emoção? 


5. Prestar atenção aos sentimentos nas experiências diárias

Por exemplo, suponha que não esteja cumprindo a meta e é cobrado por isso. Que emoções surgem quando isso acontece? Como você se sente quando é louvado por um bom trabalho? Como se sente para fazer o próximo contato? Como se sente para falar com seu colega ou gerente?


6. Observar a conexão de sentimentos com comportamentos

Quando você sente emoções fortes, como reage?  Quanto mais você entender o que estimula seus impulsos comportamentais, maior será o seu autocontrole e a IE. Controlando o seu sentimento você controla o seu comportamento. E vice versa. Exemplos de comportamentos e sentimentos: sentir-se envergonhado ou inseguro pode fazer você finalizar prematuramente e sem sucesso um contato. Sentir-se bravo pode fazer com que levantemos a voz e denote falta de respeito e educação. Sentir-se sobrecarregado pode gerar stress e queda de rendimento e auto estima.


7. Evitar julgar emoções

Para não interromper o fluxo de emoções e informações. Todas as emoções são válidas, mesmo as mais negativas. Pense nisso desta maneira: cada emoção que você possui é uma nova informação útil conectada a algo que está acontecendo em seu mundo. Sem essa informação, você ficaria no escuro sobre como reagir adequadamente, ou saberia menos. É por isso que a capacidade de sentir suas emoções é uma forma de inteligência.


8. Observar padrões em sua história emocional

É outra maneira de aprender o máximo que puder sobre seus próprios sentimentos e como eles estão conectados às suas experiências. Quando você tem uma forte emoção, pergunte-se como me sinto? Quando identificamos padrões, podemos exercer mais controle sobre o nosso comportamento. Observe como você lidou com uma certa situação antes e como você gostaria de lidar com isso na próxima vez. Manter um diário dos sentimentos e reações emocionais, ajuda a entender esses padrões.


9. Empatia

Ganhar o hábito de sentir a outra pessoa e compartilhar emoções. Buscar entender ao invés de persuadir. Aprender a escutar e não interromper a fala das pessoas. Saber perguntar para fazer a pessoa falar de forma “aberta”, falar de forma “controlada” e de forma mais fechada para entender o que a outra pessoa pensa, sente e se emociona. Coletar informações ditas e não ditas. Usar as informações, emoções, sentimentos, atitudes e comportamentos para  comunicar, influenciar e tomar decisões. Saber ensaiar e usar perguntas. 


10. Avaliar os efeitos que provocamos nos outros

As pessoas ficam alegres ao seu lado, nervosas, …? Peça feedback para pessoas da sua confiança.


Saiba mais. Inteligência EmocionalHabilidades Técnicas e EmocionaisInteligência Competitiva


 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Navegação pelos artigos