Aprendizado Construtivista

Como construímos o conhecimento ?

A construção e novos conhecimentos dependem do que já sabemos, experiências prévias, como essas experiências foram registradas, quais os modelos mentais empregados, quais as crenças que suportam as nossas interpretações dos  eventos e experiências.

“As pessoas aprendem e constroem o seu próprio entendimento e conhecimento do mundo experimentando coisas e refletindo sobre essas experiências”. 


Fazer Perguntas

Quando encontramos algo novo, conciliamos com nossas idéias e experiências anteriores. Isso pode gerar mudanças no que acreditamos, ou talvez descarte de uma nova informação como irrelevante. Em qualquer caso, somos “criadores ativos” do nosso próprio conhecimento. Para fazer isso, devemos fazer perguntas, explorar e avaliar o que sabemos.

O foco é nos tornarmos “aprendizes peritos”. Usar ferramentas cada vez mais efetivas para continuar aprendendo. Ou seja, aprender como aprender!

Facilitador ao invés de professor

O professor dá lugar ao facilitador para: incentivar o processo de aprendizagem e reflexão, examinar o conhecimento atual, identificar  conceitos e aplicações, divulgar projetos e experimentos relevantes, discutir o aprendizado e experiências, entender melhor o conceito.

Foco em Ferramentas

Em vez de reproduzir informações e fatos, o foco é direcionado para o fornecimento de ferramentas mentais para a resolução de problemas e atividades do dia a dia, buscar conclusões e inferências. Criar um ambiente de aprendizagem colaborativa. Transformar a pessoa de um receptor passivo de informação para um participante ativo no processo de aprendizagem.

Desencadear a curiosidade

O objetivo não é  “reinventar a roda” e sim desencadear a curiosidade e entender como as coisas se transformam e funcionam; facilitar o engajamento e aplicação do conhecimento,  testar teorias e tirar conclusões das descobertas; discutir exemplos dos fundamentos das atividade; ter em mente perguntas ou idéias para compartilhar.


Saiba mais. Ferramentas de Inteligência Competitiva

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Navegação pelos artigos