Armazenamento na Nuvem

Quais são a necessidades que o armazenamento na nuvem resolve?

Armazenamento em nuvem serve a vários propósitos. Pode atuar como um disco rígido externo baseado na Web, convenientemente sem o hardware; uma fonte de backup de dados para recuperação de desastres; uma plataforma de compartilhamento de arquivos para colaboração e uma ferramenta de produtividade para acessar arquivos, a qualquer momento, em qualquer lugar, a partir de qualquer dispositivo.

Amazon S3. O Amazon Simple Storage Service (Amazon S3) é um serviço IaaS, da Amazon, endereçado para desenvolvedores e equipes de TI, provê armazenamento de objetos, segurança, escalabilidade e durabilidade. É fácil de usar, via uma interface de serviço Web simples para armazenar e recuperar volumes de dados de qualquer parte da Web. Paga-se apenas pelo armazenamento realmente utilizado. Não há taxa mínima nem custo de configuração. Oferece categorias de armazenamento criadas para frequência de usos  diferentes e políticas configuráveis para gerenciar o ciclo de vida dos dados, com migrações automáticas para a categoria de armazenamento mais adequada, sem alteração das aplicações. Pode ser usado independentemente ou integrado com outros serviços da AWS (Amazon EC2 e outros), como também com sistemas de armazenamento e gateways de terceiros. A estratégia da Amazon é prover o melhor em termos de gestão na nuvem e reduzir os custos de datacenter, via a terceirização dos recursos necessários para o desenvolvimento e teste de aplicações. As aplicações mais frequentes são: aplicações em nuvem, distribuição de conteúdo, backup e arquivamento, recuperação de desastres e análises de big data.

Azure. Oferece virtualização na nuvem baseada em Linux e Windows, para se adaptar a ambientes de computação heterogêneos. Isto permite posicionar o Azure como oferta IaaS. Provê armazenamento de objeto, ideal para o desenvolvimento e teste de aplicativos na nuvem. É atrativo para as empresas que já estão fortemente envolvidas com soluções e tecnologias da Microsoft em seus datacenters e funciona como uma extensão natural para a nuvem pública. Oferece um conjunto abrangente de SLAs na nuvem e uma rede de 19 centros de dados ao redor do mundo. Em 2012, a Microsoft adquiriu a StorSimple, um fornecedor de gateway de nuvem. Isto habilitou o Azure a estender o armazenamento e gestão para nuvens híbridas, com  gestão do armazenamento dentro e fora do datacenter  – um ponto nevrálgico para  muitas empresas  – o que e aumenta a capacidade do Azure e sua proposta de valor.

Google Cloud Storage. É uma estrutura IaaS. Trabalha em conjunto com o Google App Engine, que é uma plataforma de desenvolvimento de aplicativos, o Google Compute Engine, que fornece máquinas virtuais, e BigQuery, que é uma ferramenta de análise de bigdata. O Google Cloud oferece 3 opções simples: armazenamento padrão e outras duas opções de acesso mais rápido. O Google Cloud Storage é principalmente endereçado para o usuário final e áreas administrativas das empresas. As aplicações mais frequentes são: armazenamento de documentos e gerenciamento de projetos e colaboração.

Observação. O “armazenamento de objeto” difere dos sistemas SAN ou NAS. O que é mais perceptível para os administradores de armazenamento é que LUNs (Logical Units) e volumes e RAID estão ausentes. Os objetos de dados são armazenados em “containers” de tamanho variável em vez de blocos fixos. Considerando que os metadados e os dados são acessados ??em conjunto nos métodos tradicionais de acesso a dados, o armazenamento de objetos permite que os dados em si sejam acessados diretamente. Além disso, a segurança pode ser aplicada por objeto ou por comando.


Saiba mais. Servidor de ArquivosSistemas de Armazenamento em RedeTecnologias de Acesso de DadosRAID – Redundant Array of Inexpensive DisksDAS – Direct Attached StorageNAS – Network Atacched StorageSAN – Storage Area NetworkSaaS e Armazenamento.


Os comentários estão fechados.

Navegação pelos artigos