Redes Corporativas e Convergência

Hoje, a convergência nas redes corporativas é marcada pelas seguintes características:

  • Convergência IP (Internet Protocol). As redes corporativas possuem diversas aplicações, como E-learning, Telefonia e Banco de Dados. As aplicações rodam sobre uma infra-estrutura IP.
  • QoS (Quality of Service). Para atender às exigências de desempenho em cada aplicação, as redes corporativas utilizam classes de serviço com priorizações e reservas de recursos diferenciados para cada uma. O tratamento das aplicações é realizado na rede Interna, utilizando QoS IP. O modelo de QoS IP utilizado é o Diff Serv (QoS por classes de serviço).
  • QoS Backbone. O QoS utilizado internamente (Diff Serv) é mapeado em classes de serviço no backbone; por isso, o backbone precisa ser capaz de “entender” o QoS do IP utilizado internamente nas corporações.
  • Telefonia IP. As redes de Telefonia migram a cada dia para Telefonia sobre IP. As redes corporativas não somente encapsulam o tráfego de centrais convencionais, como utilizam a Telefonia IP com ramais IP, Integração com Servidores, Serviços de Unified Comunication e telefonia móvel IP. Ramais IP podem ser ativados em celulares com interfaces Wi-Fi como o E-61 da Nokia, permitindo a mobilidade interna de executivos com seus ramais.
  • Mobilidade. Redes corporativas cada vez mais utilizam acessos wireless. Tanto notebooks como telefones IP wireless são utilizados exigindo que em todas as dependências da empresa exista cobertura Wi-Fi.
  • VPN. Fora das dependências da Empresa é comum estabelecer túneis criptografados entre Notebooks e VPNs Servers da empresa. A partir destas conexões é possível não somente acessar aplicações corporativas de dados mas também ativar ramal IP no notebook, através de softphone (softwares que habilitam no notebook um terminal telefônico).Aplicações como o Outlook e outras agendas corporativas, além de servidores de e-mail, são acessadas a partir de aparelhos celulares que fecham túneis de VPN criptografados com os servidores corporativos.
  • Vídeo. As aplicações como vídeo-conferência e e-learning estão cada vez mais presentes, exigindo QoS e Banda dos backbones que prestam o serviço.
  • MPLS. Para atender às exigências de rede, como QoS, desempenho e Banda, os backbones de operadoras que oferecem serviços de Rede Corporativas Convergentes tendem a ser MPLS (Multiprotocol Label Switching).

Em resumo, pode-se destacar as seguintes convergências nas redes corporativas: Convergência IP, Convergência para o MPLS, Convergência para a Mobilidade, Telefonia IP com Unified Communication, Convergência de Terminais como Notebooks e Samartphones e Convergência de Serviços com VPN para acesso remoto às aplicações.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Navegação pelos artigos