Marketing e Vendas

 

O que é marketing?

O mapa conceitual a seguir descreve e relaciona os principais fundamentos do marketing:

  • É uma ciência que utiliza várias outras;
  • É um processo de gestão empresarial segmentado em etapas – criação, comunicação, entrega e troca de ofertas; as ofertas atendem necessidades e desejos e agregam valor e vantagens para as pessoas –  clientes e acionistas.
  • Está atrelado a um plano de marketing com objetivos e estratégias para o mix de marketing, formado por  7 componentes: produto, preço, promoção, praça, pessoas, processos e evidências físicas (phisical evidences)

 

O mapa conceitual a seguir resume os 7 Ps do plano de marketing:

Exemplos de decisões de marketing frequentemente incluídas num plani de marketing

  • Aumentar a conveniência, distribuir lojas físicas em pontos estratégicos e desenvolver canais de vendas
  • Aumentar a percepção de valor da marca, serviços e produtos.
  • Aumentar o número e o engajamento de interações entre clientes em potencial e a empresa.
  • Envolver equipes de vendas.
  • Desenvolver técnicas promocionais, como publicidadepromoção de vendas , relações públicas.
  • Desenvolver novos serviços e produtos.
  • Gerenciar o ciclo de vida dos serviços e produtos.
  • Fazer o cliente entrar em contato com a empresa por telefone.
  • Fazer a empresa entrar em contato com o cliente via telefone.
  • Aplicar técnicas para levar o cliente potencial a visitar o site  da empresa e obter informações.
  • Interagir com o mercado alvo por meio de mídias sociais como Twitter , Facebook e blogs.
  • e assim por diante.

Em resumo, marketing é todo o trabalho de persuasão feito para o mercado alvo e influi diretamente no processo e desempenho de vendas.

Processo de Venda

Vender é um processo sistemático, repetitivo e mensurável, pelo qual um vendedor relata sua oferta de um produto ou serviço para ajudar o comprador resolver uma necessidade ou problema e atingir o seu objetivo de maneira econômica; é o estágio final de marketing; é o esforço de persuasão da empresa com pessoas (B2C), da empresa com empresas (B2B), seja pessoalmente, por telefone via ambiente digital (marketing digital).

Compra e venda são entendidos como dois lados da mesma “moeda” ou transação; as etapas de venda e compra envolvem se familiarizar, avaliar a necessidade de cada parte pelo item de valor do outro e determinar se os valores a serem trocados são equivalentes ou quase iguais, ou, em termos do comprador, “valer o preço”.

O aprendizado pode ser efetivo seja na escola, no trabalho ou onde quer que seja; ele não necessita de mudanças de  comportamento e sim de  mudanças no significado da experiência.  Como podemos refletir sobre as nossas experiências e construir novos e mais poderosos significados?

Uma resposta inicial a esta pergunta é não apenas pensar, mas sentir, não negligenciar a significância do sentimento. As experiências humanos  envolvem pensamentos, sentimentos e ações. Quando envolvemos esses 3 componentes ganhamos poder para enriquecer o significado da experiência.

As práticas educacionais que não levam o aprendiz a compreender o significado do aprendizado usualmente falham em fornecer-lhes confiança em suas habilidades e não desenvolvem seu senso de domínio sobre os eventos.

É muito importante que os programas educacionais forneçam ao aprendiz a base para entender porque e como novos conhecimentos estão relacionados com aqueles que ele sabe e forneça a efetiva garantia que eles têm a capacidade de usar esse conhecimento em novos contextos.

O aprendizado para ser compreendido de forma efetiva deve também considerar outros 4 componentes: o ensino (como os estudantes são ensinados), a estrutura do conhecimento que forma o curriculum e a sua produção e a governança dos recursos educacionais. Em qualquer episódio educacional, todos esses 4 fatores devem ser considerados. Qualquer estratégia educacional de qualidade deve considerar esses 4 componentes (processos).

Quando os estudantes aprendem sobre o aprendizado eles assumem o controle do seu próprio aprendizado. A estratégia não está apenas em ajudar o aprendiz, mas também transformá-lo em um melhor professor e influenciar a vida de milhares de pessoas.

O foco deve estar direcionado para prover estratégias viáveis a ajudar o aprendiz a “aprender a aprender”

Processo de Decisão de Compra

Qual a importância do processo de decisão de compra?

Tomada de decisão é uma abordagem de solução de problemas; as decisões traçam o caminho para se alcançar um objetivo; causam impactos diretos sobre os resultados, custos, tempo, sentimentos e relacionamentos.

De uma forma geral, podemos segmentar o processo de decisão em 5 componentes:

  1. ENTENDIMENTO do problema ou necessidade, latente, ativo ou imagem de solução.
  2. INFORMAÇÃO para gerar inteligência técnica e emocional para todo o processo de decisão.
  3. AVALIAÇÃO DE ALTERNATIVAS viáveis e alinhadas com atributos de valor.
  4. ESCOLHA da alternativa com maior valor
  5. AVALIAÇÃO DA DECISÃO para avaliar expectativas, experiências e resultados.

 

Tomada de decisão de compra

O infográfico a seguir ilustra o processo de compra em 5 etapas.

Figura. Infográfico do processo de decisão de compra segmentado em 5 etapas.

O processo de tomada de decisão de compra é um tipo de processo de tomada de decisão, especialmente importante para o marketing e vendas pelos seguintes motivos:

  1. Chamar a Atenção, Interesse, Desejo, e Ação de compra (efeito AIDA) de soluções de problemas e necessidades.
  2. Aumentar a percepção de necessidades e problemas.
  3. Criar situações de compra: problema simples ou complexo, compra regular, insatisfação, novo produto, produto relacionado.
  4. Criar imagens de solução dos problemas e necessidades, para despertar desejo de compra da marca e soluções.
  5. Posicionar as soluções no grupo de alternativas viáveis do cliente.
  6. Influenciar os atributos e critérios de valor das soluções para decidir a compra.
  7. Ajudar a comparar soluções alternativas e concorrentes.
  8. Ajudar a justificar o valor das soluções.
  9. Descrever os benefícios e diferenciais da solução com  foco, singularidade e mensagem de valor.
  10. Ajudar o cliente a decidir a melhor alternativa.

O trabalho de marketing e vendas é ajudar o cliente na sua jornada de compra acima segmentada em 10 passos.

Mapa conceitual do processo de decisão de compra

Veja a seguir um mapa conceitual do processo de compra que sumariza e facilita o entendimento do processo de compra.

Figura. Mapa conceitual do processo de decisão de compra; ilustra etapas, conceitos e relacionamentos mais importantes; use esse mapa para fazer o mapa conceitual do processo de decisão de compra do seu modelo de negócio.

 

 

Etapas do processo de decisão de compra

Podemos segmentar o processo de decisão em 5 etapas. Vide figura:

 

 

PRIMEIRA ETAPA – CONSCIENTIZAÇÃO

  • É a etapa mais importante do processo de compra.
  • Sem necessidades e problemas não existe motivação para a a compra.
  • Nesta etapa direcionamos a nossa atenção para entender o problema ou a necessidade.
  • As necessidade aparecem por motivos internos (sede, fome, atingir um objetivo, …) ou motivos externos (publicidade, ambiente, social, político, cultural, …)
  • As necessidades ou problemas estão relacionadas com várias situações de compra, por exemplo: problema simples, complexo, rotineiro, novos produtos, outros produtos relacionados, insatisfação,
  • Para avaliarmos a seriedade de um problema e a sua importância devemos avaliar as suas  implicações, urgência e gravidade.
  • Nesta etapa o processo de compra pode ser interrompido por falta de informações que existam soluções para resolver as necessidades e problemas. Neste caso a necessidade vira latente e adormece na mente do potencial comprador.

Esta etapa é predominantemente emocional, já que direciona a atenção para as necessidades, problemas e insatisfações do tomador de decisão.

SEGUNDA ETAPA – BUSCA DE INFORMAÇÃO

  • Tão logo identificamos um problema ou necessidade, direcionamos a nossa atenção para buscar informações.
  • Existem vários tipos de fontes de informação: interna (memória); grupos (boca a boca); marketing (publicidade, vendedores, marketing digital); experiências (manuseio, análise, uso do produto); informações públicas (TV, rádio, jornais, internet).
  • Todas essas fontes influenciam na percepção de necessidade ou problemas, na criação de uma imagem de solução, no desenvolvimento de atributos de valor, critérios de seleção de soluções, soluções propriamente ditas, nas expectativas e satisfação da compra; devem ser consideradas e trabalhadas pelo marketing para educar o público alvo e facilitar os processos de compra e venda.
  • Clientes bem informados e educados desenvolvem atributos de valor, preferências e critérios de seleção de alternativas de solução que apontam para a nossa oferta (serviços e produtos).
  • Informações são também essenciais para ajudar o processo de decisão da compra, alinhar  expectativas e influenciar no nível de satisfação da compra.
  • O desafio para o profissional de marketing é identificar as fontes de informação mais influentes em seus mercados-alvo e gerar informações para aumentar a percepção de valor da sua marca, serviços e produtos em todas as etapas da compra.

TERCEIRA ETAPA – AVALIAÇÃO DE ALTERNATIVAS

  • A avaliação de alternativas pode ser visto como uma etapa distinta, mas ocorre durante todo o processo de decisão.
  • Nesta etapa, após entender que existe uma necessidade ou um problema real que precisa ser resolvido, direcionamos a nossa atenção para descobrir as alternativas de solução que geram benefícios funcionais (que podem ser medidos) e emocionais (que podem ser sentidos).
  • Esses benefícios esperados estão atrelados ao nosso sistema de valores e crenças e estabelecem os critérios a serem utilizados para  comparar  soluções e escolher a melhor alternativa.
  • Nesta etapa, avaliamos se existem muitas marcas, características, qual o tempo ou esforço de pesquisa e se precisamos de mais informações e ajuda, para gerar um conjunto de alternativas viáveis.
  • Diante disso, empresas fornecedoras de produtos e serviços precisam constantemente educar o mercado alvo, influenciar os critérios de escolha de soluções, inserir suas soluções nesse conjunto de soluções viáveis e aumentar a percepção de valor da sua solução.
  • Nesta etapa, a compra pode ser interrompida se não conseguirmos obter informações suficientes e encontrar soluções viáveis.

Esta etapa é predominantemente racional, já que direciona a atenção para a solução,  racionalizar o valor para comparar alternativas concorrentes.

QUARTA ETAPA – DECISÃO DE COMPRA

  • É onde a compra ocorre.
  • Nesta etapa escolhemos a melhor solução com base nas etapas anteriores, comparamos o valor de cada alternativa, ponderamos  benefícios, custos e riscos da decisão.
  • A compra pode ser interrompida nesta fase, ou por feedback negativo do fornecedor ou mudança na situação do cliente ou do fornecedor.
  • Os profissionais de venda e marketing devem facilitar o processo de decisão de compra, por exemplo, ajudando o cliente a justificar o valor da solução, principalmente para vendas mais complexas, com vários influenciadores.
  • Uma boa forma de justificar o valor da solução para facilitar a decisão de compra é usar a fórmula de valor: valor da solução = benefícios da solução /(custos da solução x riscos da solução) e desenvolver estratégias para aumentar a percepção de valor da solução, ou seja ressaltar benefícios para reduzir a percepção do custo da solução e reduzir o risco via garantias.

Esta etapa é tanto racional como emocional; quanto mais importante a decisão e suas implicações, mais racional e complexo será o processo de decisão.

QUINTA ETAPA – AVALIAÇÃO DA COMPRA

  • Nesta fase, comparamos a experiência de uso dos produtos e serviços com as nossas expectativas.
  • Os consumidores avaliam se estão satisfeitos com a experiência de compra e de uso dos produtos e serviços.
  • Muitas vezes o consumidor se arrepende da compra (dissonância pós compra) e acha que poderia ter escolhido uma outra; pode não comprar imediatamente ou mudar de marca da próxima vez.
  • O pós compra é crucial para desenvolver a fidelidade com a marca e influenciar o processo de decisão de compras futuras, principalmente na etapa de busca de informações e avaliação de alternativas, que podem ser aceleradas ou ignoradas, se os clientes estiverem satisfeitos.
  • Nesta fase, é muito importante a comunicação positiva pós venda, para reduzir  quaisquer sentimentos de tensão ou ansiedade pós compra e ajudar a experiência,  tirar quaisquer dúvidas ou preocupações. aumentar a fluência de uso e  aumentar a percepção de valor da solução;

Mapa conceitual do processo de decisão de compra

Veja a seguir um mapa conceitual do processo de compra que ilustra os principais conceitos, relacionamentos; sumariza e facilita o entendimento e aprendizado do processo de compra.

Figura. Mapa conceitual do processo de decisão de compra; ilustra etapas, conceitos e relacionamentos mais importantes; use esse mapa para fazer o mapa conceitual do processo de decisão de compra do seu modelo de negócio.

Modelo racional e emocional

  • O processo de tomada de decisão é tanto racional quanto emocional.
  • Nós seres humanos temos capacidade de raciocínio limitada para reunir todas as informações necessárias para tomar uma decisão, impostas pelo ambiente de decisão, pelo tempo, conhecimento e atenção que influenciam muito a decisão;
  • A tomada de decisão poderá, em alguns casos, e de forma consciente, ignorar informações para tornar a escolha mais fácil e rápida nas situações reais.

  • É importante entender porque os consumidores preferem comprar determinados produtos ou serviços ao invés de outros; os comportamentos são previsíveis e imprevisíveis.
  • O processo de decisão de compra é cumulativo. Cada etapa depende da etapa anterior; quanto melhor trabalhada for a etapa de conscientização, mais fácil será a etapa de avaliação de alternativas; quanto melhor for essas duas etapas, mais fácil será a decisão de compra.
  • Compras mais rotineiras ou mais simples queimam etapas e são mais rápidas.
  • Todas as etapas devem ser consideradas para influenciar na decisão de compra, mesmo para compras mais simples; por exemplo, comprar para satisfazer necessidades fisiológicas pula etapas; preferência ou fidelidade em relação a um fornecedor pula etapas.
  • O trabalho de marketing visa facilitar a compra (e venda) em todas as etapas – conscientizar, informar, avaliar alternativas, decidir a compra e avaliar a compra.

Saiba mais: Mapas conceituais, Comportamento do Comprador, Processo de Venda, Comportamento do vendedor.

 

Quais os comportamentos do comprador durante o processo de compra?

Ao longo do processo de compra temos diferentes objetivospercepções comportamentos. O diagrama ilustra como nos comportamos nas 3 etapas da compra. Avalie cada etapa com atenção.

Conscientização da Necessidade

Na etapa de conscientização de necessidades a nossa atenção está voltada para entender a necessidade, a situação em que nos encontramos, as implicações da necessidade, gravidade e urgência. Outra preocupação, é o custo. Existe uma solução que caiba dentro do meu bolso? Se entendemos que NÃO temos uma real necessidade ou ela não é tão importante, ou será muito cara, a necessidade adormece, vira necessidade latente. Caso contrário, esquecemos a questão do custo, temporariamente, e nos concentramos em criar uma imagem de solução. Podemos resumir esta fase como SPIS – SITUAÇÃO, PROBLEMA, IMPLICAÇÕES e IMAGEM DE SOLUÇÃO. É uma etapa  caracterizada pela emoção.

Buscar Informações e Avaliar Alternativas

Nesta etapa, a nossa atenção se volta para encontrar uma solução para a necessidade. Buscar e filtrar informações, saber quais soluções atendem a nossa imagem de solução, dentro do nosso orçamento mental. Quais os critérios de valor (por exemplo: economia, atendimento, desempenho, segurança, segurança) que usaremos para selecionar e comparar as alternativas de solução que atendam a nossa imagem de solução.

Decidir Comprar e Avaliar a Decisão da Compra. Nesta etapa escolhemos a solução e avaliamos em maiores detalhes o risco da solução. Se o preço está adequado, se existem descontos ou formas de pagamento que viabilizem ou facilitem a compra. Precisamos nos sentir seguros para tomar a decisão de compra.

Como falar com seu público?

O que é tom da voz, qual a sua importância e como desenvolvê-lo?

O tom de voz é uma expressão dos valores e do modo de pensar da sua empresa; é o que você parece hoje, o que você quer dizer ao mundo, o objetivo central da sua comunicação. O tom de voz não é o que você diz na forma escrita, mas como você diz com palavras, ordem, ritmo, no seu site, nas mensagens de mídia social, e-mails e outras comunicações de negócios.

 

O mais importante para as pessoas não é o que você diz ou faz, e sim o que você as faz sentir; a maneira de dizer influencia muito no sentimento; palavras cuidadosamente escolhidas podem ser usadas para persuadir e influenciar o seu público

 

Importância do tom de voz

O tom da voz  incorpora e expressa a personalidade e o conjunto de valores da marca:

  • Fala sobre as pessoas que incorporam a marca, as coisas que as impulsionam, que amam e querem compartilhar;
  • Deve se diferenciar das “outras vozes”, ser específico, reconhecível e único;
  • Necessita ser consistente em termos de linguagem e  mensagem, para que se torne familiar e gere confiança;
  • É usado usado para influenciar e persuadir.

Tom de voz e  Valores

O tom de voz expressa os valores e o modo de pensar da sua empresa hoje.

  • Porque a sua  empresa foi criada? Qual a motivação além do dinheiro? Qual a missão da sua empresa? Qual a razão dela existir?
  • Quais os valores fundamentais da sua empresa? Como resumir os valores do seu negócios em algumas palavras chave? 
  • Qual o método de abordagem que você usa para escrever sobre a sua empresa? Exemplo: faz um rápido rascunho sem editar, volta e retrabalhar lentamente?
  • Como você perceber o seu tom de voz? Você lê a sua mensagem em voz alta? Qual o método que você usa?
  • Qual o tom da voz das marcas que você aprecia? Exemplo: Apple: inovar, inspirar, sonhar; Red Bull: aventura, adrenalina. …
  • Qual o valor humano básico que a sua empresa oferece? Quais os valores emocionais como sentimentos e emoções que a sua marca inspira?
  • Qual a diferença na forma que a sua empresa trabalha? Como organiza os seus processos? Como cuida da equipe?

Tom de voz e  Vocabulário

Após identificados os valores, o segundo passo é criar o seu vocabulário, que expressa a sua personalidade. Se valores são o que você diz, personalidade é como você diz.

  • Você usa uma linguagem formal ou informal? a formalidade inspira profissionalismo, mas pode ser percebida como falta de personalidade e sentimentos; o informal  inspira personalidade e calor, mas pode ser interpretado como imprudente e sem profissionalismo;
  • Quão técnico é o seu tom de voz? Termos técnicos são necessários em determinados momentos, mas sempre que possível devemos usar palavras cotidianas, nos manter simples, para inspirar mais sentimentos,  confiança e intimidade.
  • Quão alinhado você está com a linguagem dos seu público alvo? Analise o idioma que as pessoas usam em suas comunicações por escrito para você; busque alinhamento. Quais as palavras comumente usadas? Qual a diferença entre a linguagem de uma  plataforma de mídia social para a outra?
  • Você usa frases que grudam na cabeça das pessoas? As palavras e os significados podem ser ressaltados em frases. Exemplo: “Impossível não é nada” (Adidas); “Pense diferente” (Apple).

Tom de Voz e Humor

De uma forma geral o humor é o estado de espírito de um indivíduo; é uma das chaves para a compreensão de culturas, e costumes das sociedades.

  • O humor é adequado para a sua marca? O humor mostra o seu estado de espírito e da sua empresa e anima as pessoas. A linguagem coloquial e cotidiana ajuda as pessoas a forjar uma conexão emocional com o texto. 
  • Você exercita a humildade? Você ri de si mesmo? Isso pode tornar os leitores mais atraídos pela sua marca por você demonstrar saber assumir as suas responsabilidades, sem arrogância, prepotência ou soberba.
  • Você tem um mascote da empresa? Isso pode fornecer um trampolim para o humor; facilita dizer coisas que, de outra forma, poderiam parecer muito ousadas; facilita incitar diferentes ações. Uma boa prática: escreva as suas frases e tente reescrevê-las com humor.

Tom de Voz e Contar histórias

Uma vez que você tenha uma idéia do que está dizendo, o vocabulário e o tom de como você quer dizer, você pode pensar em usar uma estrutura de narrativa (ou story telling), que permite apresentar informações de sua empresa com componente emocional, coerente. lógica e atraente.

  • O que faz uma boa história? Ela incorpora crenças e personalidade, de forma divertida e memorável para quem lê;
  • Quais os componentes de uma boa história? Uma pessoa ou grupo específico, como protagonista, ao invés de uma empresa como um todo; uma luta por recursos; exigência de mudança e aprendizado de algo;
  • Onde você pode contar histórias? Anúncio da sua empresa; seção “sobre nós” no site; histórias de clientes e uso dos seus serviços;
  • Como descobrir histórias? História da empresa; detalhes da vida cotidiana que causem bem estar e bom humor; como fazer coisas de maneira diferente, com obstáculos e desafios;

Tom de Voz e Implementação

Uma coisa é você decidir sobre o tom de voz, outra coisa é fazer com que outros o adotem em suas escritas. Como fazer isso?

  • Como envolver as pessoas nos estágios iniciais? Uma boa prática é envolver com colaboradores mais seniores; criar grupos focais com exercícios para geração de idéias; avaliar conteúdos existentes na empresa; manter as pessoas informadas.
  • Como criar um guia de tom de voz? Usar um documento (ferramenta) para treinar equipes de desenvolvimento de conteúdo; que seja fácil de digerir e memorável; destacar pontos mais importantes; lista de palavras chaves recomendadas e não recomendadas; tamanhos e aparência de conteúdos; 
  • Como introduzir a governança? Existe um responsável para garantir a implementação do tom de voz? Qual o processo editorial? Existe uma equipe de edição que avalia os conteúdos antes da publicação? Existe um check list para avaliar a conformidade do conteúdo e forma?

É através da adoção de um tom de voz que você conseguirá familiaridade e confiança com o seu público; você deve primeiro decidir o que quer dizer ao mundo; depois como fazer isso, considerando o uso do vocabulário, dispositivos como humor e narrativa. Importante é que seja verdadeiro para as pessoas que o usarão. Use um processo de governança e um guia para identificar e refinar a maneira de usar palavras já existentes na empresa para facilitar o envolvimento das pessoas.

Reuniões de Controle de Vendas

Quais são as perguntas que devemos saber sobre nossas oportunidade de venda nas reuniões de controle?

A reunião de controle de vendas deve ser abordada de forma metodológica; uma auditoria do pipeline é uma inspeção cuja intenção é responder a uma importante pergunta …

… o pipeline de vendas atual possibilitará negócios fechados suficientes para atingirmos as metas de vendas no final do ciclo?

Reuniões de controle dão ao gerente e vendedor um retrato atual da situação do pipeline; é a base para a criação e execução dos planos de ação de 30/60/90 dias. É recomendável que os gerentes conduzam estas auditorias com suas equipes de uma forma regular e programada para acompanhar as mudanças que ocorrem nos funis de venda de cada vendedor.

Cada executivo de conta deve gerenciar informações específicas sobre suas principais oportunidades, que serão tratadas na reunião, e tal procedimento exige que ele saiba de antemão as perguntas que serão feitas.

Uma boa prática é padronizar “Perguntas de Controle de Vendas”, para que haja um padrão e eficiência no processo de controle e o que deve ser perguntado; as perguntas devem estar diretamente associadas a sequência de atividades que devem ser executadas para levar uma venda ao seu fechamento; 


Check List. Perguntas para Reuniões de Controle de Vendas

Veja 12 perguntas de controle sobre oportunidades de venda para atingir metas.


Perguntas de Reuniões de Controle de Venda

  1. Qual o nome da empresa?
  2. Qual o nome do contato e seu cargo?
  3. Quem abriu primeiro a oportunidade: você ou a concorrência?
  4. Qual a necessidade ativada ou a questão de negócio que está sendo discutida?
  5. Quais os motivos para essa necessidade?
  6. Onde está o foco de receptividade, insatisfação e poder e como você pretende chegar lá?
  7. Quais são os influenciadores associados às necessidades e aos motivos?
  8. Quais as implicações das necessidades e problemas?
  9. Qual a imagem de solução de cada influenciador do processo de decisão?
  10. Qual o valor da solução para essas pessoas e para a organização?
  11. A oportunidade está classificada corretamente no pipeline de vendas?
  12. Existe um plano de ação? Quais são os próximos passos? Quais informações a serem coletadas?

 
O gestor e equipe devem chegar ao final de uma reunião de controle de venda com três informações: 1) se a meta de vendas será alcançada ou não, 2) se existe algum déficit no número e na qualidade das oportunidades existentes no pipeline  e 3) quais as ações de balanceamento de vendas.

Características dos Meios de Transmissão

Quais são as principais características dos meios de transmissão?

Os meios de transmissão podem ser de vários tipos. Usamos o termo “linha” para designar o meio de transmissão entre dois pontos. Essa linha pode ser de um par de fios, um cabo coaxial, fibras ópticas, comunicação por rádio freqüência ou até mesmo por satélites. O meio de transmissão serve para oferecer suporte ao fluxo de dados entre dois pontos.

Tabela de Características de Meios de Transmissão

 

Tipo e Meio Espectro de Freqüência Taxa de Erro de Bit Distância entre Repetidores Segurança Custo
Par Trançado 1MHz Pobre

(10-5)

Curta

(2 km)

Pobre Baixo
Coaxial 1GHz Boa

(10-7 a 10-9)

Curta

(2.5 km)

Boa Moderado
Microondas 100GHz Boa

(10-9)

Media

(>/72 km)

Pobre Moderado
Satélite 100GHz Boa

(10-9)

Longa (>/36,000 km) Pobre Moderado a alto
Fiber 75THz Ótima

(10–11 a -13)

Longa (até 4,000 miles/6,400 km) Boa Moderado a alto

Resumo Migração para Telefonia IP

Características, vantagens, comparação de custos e ROI, VoIP via wireless, migração telefonia convencional para VoIp.

Sistemas de Comunicação

Quais são os principais componentes dos sistemas de comunicação?

Um sistema de comunicação é uma coleção vários de componentes: redes de comunicações, sistemas e meios de transmissão, terminais (máquinas e computadores), protocolos para formar um todo integrado. Esses componentes são tecnicamente compatíveis, usam procedimentos comuns e operam em união.

  • As aplicações são os programas que rodam nos computadores – são a razão de existir dos sistemas de informação e comunicação. Trocam  informações entre si, via os sistemas de comunicação. Qualquer projeto de informação e comunicação inicia pelo entendimento das aplicações, seus usuários, seus requisitos de desempenho, como retardo,  vazão, erro, perda de informação. As informações podem ser de várias formas e origens: voz, mensagem, imagem, vídeo ou uma combinação dessas formas. São representadas por sinais, que podem ser analógicos ou digitais. Os sinais digitais foram introduzidos com o advento do computador.
  • As redes de comunicações também se apresentam de várias formas – rede local, metropolitana e longa distância). Geram ganho de escala e  uma infinidade de aplicações no mercado pessoal e empresarial. São muitos os tipos e tecnologias.
  • Protocolos são as regras necessárias para viabilizar as comunicações entre componentes na rede. Desempenham papel fundamental. para estabelecer, manter e finalizar a comunicação entre origens e destinos.
  • meio de transmissão é o meio físico onde os sinais se propagam. Podem ser de vários tipos, dependendo da aplicação, ter diferentes características de qualidade e restrições de investimentos e custo. O multiplexador agrupa tráfegos de múltiplos dispositivos de diferentes naturezas – dados, imagem e vídeo no meio de transmissão. A Compactação reduz o “tamanho” da representação da informação. Ambos os processos são formas de melhor aproveitar os meios de transmissão. O modem faz a adequação dos sinais digitais aos meios de transmissão. Embora quase a totalidade dos sistemas de comunicação sejam digitais, as redes de acesso (as linhas de assinantes) são analógicas.
  • largura de banda – a capacidade de transmitir volumes de informação – é um item crítico e está sofrendo grandes evoluções. O crescente tráfego de dados e vídeo demanda crescentes aumentos da largura de banda.

 

Frequência e Largura de Banda

O que é frequência e largura de banda?

Freqüência. A taxa com que os sinais de telecomunicações e as correntes elétricas se alteram é expressa em freqüência. A freqüência refere-se ao número de vezes por segundo que uma onda oscila em um ciclo completo. Quanto maior a velocidade ou freqüência, mais ciclos completos de uma onda são concluídos em um período de tempo. Essa velocidade ou medida de tráfego é expressa em Hertz (Hz) nos sistemas analógicos e em bits por segundo nos sistemas digitais.

 Largura de Banda. Em telecomunicações, a largura de banda refere-se à capacidade de transmissão e é expressa de formas diferentes para sistemas analógicos e digitais.

Uma onda que oscila 10 vezes por segundo tem uma freqüência de 10 hertz ou ciclos por segundo. Um sinal digital com 64 K bits por segundo terá uma taxa de transmissão de 64 x 1024 bits por segundo. Quanto maior for a freqüência maior de um sinal maior será a largura de banda ou a capacidade exigida para transmitir os sinais. A voz humana não exige altas capacidades, já comunicação de dados, imagem, vídeo, TV e muitas outras aplicações exigem altas capacidades. Isso explica o porquê que a rede telefônica, originariamente projetada para transmitir voz, apresenta limitações para a transmissão de outros tipos e sinais. Essa limitação e demandas de comunicação do mundo moderno são uma das razões do movimento da convergência.

DMZ

Como  implementar uma DMZ para segmentar a segurança de rede?

Em redes de computadores, uma DMZ (zona desmilitarizada) é uma sub-rede física ou lógica que separa uma rede local interna de outras redes não confiáveis, normalmente a Internet. Nenhum recurso na DMZ tem acesso à rede interna. Isso fornece uma camada adicional de segurança para a LAN e restringe a capacidade dos hackers acessarem diretamente os servidores internos e dados através da Internet.

Quaisquer serviços prestados aos usuários na Internet devem ser colocados na DMZ. O mais comum desses serviços são: Web, Mail, DNS, FTP e VoIP. Os sistemas que executam esses serviços na DMZ são acessíveis por hackers e criminosos cibernéticos em todo o mundo e precisam ser reforçados para resistir a ataques constantes. O termo DMZ vem da zona geográfica tampão que foi configurada entre a Coreia do Norte e Coreia do Sul no final da Guerra da Coréia.


Uma DMZ é frequentemente referida como uma rede de perímetro. Existem várias maneiras de projetar uma rede com uma DMZ. Os dois métodos mais comuns são com 1 ou 2 firewalls. Essa arquitetura pode ser expandida para criar arquiteturas mais complexas, dependendo dos requisitos de rede.


DMZ com 1 firewall. Um firewall único com, pelo menos, três interfaces de rede pode ser utilizado para criar uma arquitetura de rede contendo uma DMZ.

A rede externa é formada a partir do ISP (Internet Service Provider) para o firewall na primeira interface de rede, a rede interna é formada a partir da segunda interface de rede, e a DMZ é formado a partir da terceira interface de rede. Diferentes conjuntos de regras de firewall para o tráfego entre a Internet e a DMZ, a LAN e a DMZ e a LAN e a Internet controlam quais portas e tipos de tráfego são permitidos na DMZ oriundos da Internet, limitam a  conectividade à hosts específicos na rede interna e impedem conexões não solicitadas, quer para a Internet ou rede interna, oriundos da DMZ.


DMZ com 2 firewalls. A abordagem mais segura é usar dois firewalls para criar uma DMZ. O primeiro firewall também chamado de “firewall de perímetro” é configurado para permitir o “tráfego destinado somente ao DMZ”. O segundo firewall ou “firewall interno” permite apenas o “tráfego da DMZ para a rede interna”. Este método é considerado mais seguro uma vez que teria de serem comprometidos dois dispositivos, antes de um invasor acessar a rede interna.

Uma rede segmentada em DMZs, os controles de segurança podem ser ajustados especificamente para cada segmento. Por exemplo, um sistema de detecção e prevenção de intrusões de rede localizado em uma zona desmilitarizada que contém somente um servidor Web pode bloquear todo o tráfego HTTP e solicitações, exceto nas portas  HTTPS 80 e 443.


Internet e Segurança da Informação

Qual o impacto do “spam” na Internet?

As redes de computadores em geral e a Web em particular, sempre foram infestadas de vigaristas, criminosos e vândalos, que mostraram ser perfeitamente capazes de descobrir e explorar as vulnerabilidades dos softwares, bancos de dados e protocolos de comunicação.

Spam. Estima-se que mais de 90% de todos os e-mails enviados pela Internet sejam spam. Uma empresa de rastreamento de spam declarou que, em um dia qualquer, chegam a ser enviados até 85 bilhões de spams. Embora a maioria dessas mensagens seja detectada pelos filtros, um número bem maior chega a seu alvo, o suficiente para tornar o ramo dos spams mais lucrativo que nunca.

Botnet. Como os “spammers” conseguiram florescer apesar do esforço conjunto de companhias de computação e comunicações para detê-los? Sua arma mais potente passou a ser a botnet. Abreviatura de robot network (rede robótica). Uma botnet é criada por meio da distribuição de um vírus pela Internet. Quando o vírus consegue entrar num PC, por meio de um anexo de e-mail ou de um arquivo baixado, instala um pequeno fragmento de código que permite à maquina ser manipulada pelas instruções de um computador distante. Uma botnet pode incluir milhares e até milhões de “PCs-zumbis”, todos agindo coletivamente como um sistema único, sem que os donos tenham a menor idéia de que há algo errado. Na verdade, o custo marginal de enviar uma mensagem cai a zero, o que torna econômico distribuir quantidades ilimitadas de lixo. Acredita-se que entre 10% e 25% de todos os computadores da Internet estejam infectados hoje com vírus de botnets, e que redes zumbis respondam por, no mínimo, 80% de todos os spams. As botnets também podem ser usadas para semear inundações de tráfego na Internet. O  master (usuário que controla as botnets) pode instruir seu exército de computadores robotizados a inundar um site comercial ou governamental com pedidos de informações em um ataque DDoS (sigla em inglês de Distributed Denial of Service – Negação Generalizada de Serviço).

 

Dados, Informação e Comunicação

Qual a relação e diferença entre dados, informação e conhecimento?

Dados. Representam fatos, conceitos ou instruções de uma maneira normalizada para fins de comunicação, interpretação e processamento pelo ser humano ou através de computadores. São representados por símbolos. Exemplo: letras, números, fotos etc.

Informação.  Pode ser definida como dados tratados. Estão associadas a conceitos. As informações têm significado e suportam decisões. Dados são tratados pelo computador; informações, não. Desta forma podemos dizer que as informações é o conjunto de dados que foram processados, seja por meio eletrônico, mecânico ou manual e que produziu um resultado com significado.

Conhecimento. É uma atividade intelectual, um processo mental onde indagamos, questionamos e estabelecemos relações entre as diversas informações obtidas. O conhecimento pode ser obtido pelo tratamento da informação. O que resulta do processo de conhecimento são novas informações que, por sua vez, serão comunicadas, apreendidas e também empregadas em novos processos. O conhecimento vai além das informações, pois além de ter um significado, tem uma aplicação. Se informação é dado trabalhado, então conhecimento e informação trabalhada.

Conhecimento explícito e tácito. O conhecimento explícito pode ser definido como conhecimento documentado, enquanto o conhecimento tácito em geral é aquele que não foi registrado.

Conhecimento Científico. É o aperfeiçoamento do conhecimento comum e ordinário; é obtido através de um procedimento metódico, produzido pela investigação científica. Surge não apenas da necessidade de encontrar soluções para problemas de ordem prática, mas do desejo de fornecer explicações sistemáticas que possam ser testadas e criticadas através de provas empíricas.


Conclusão: O contexto que se impõe hoje é o da sociedade da informação e do conhecimento . Esta nova sociedade, globalizada, apóia-se em tecnologias de informação e comunicação, exigindo que esta última ocorra numa estrutura em rede. Esta contextualização traz consigo a nova forma de administrar. Os principais ativos desta nova forma de administrar são a informação e o conhecimento, que, acessados, compartilhados e trabalhados, geram o conhecimento novo, a inovação e inteligência corporativa.

Planos da Venda

Como devemos planejar a venda?

Devemos planejar a venda em planos articulados. Vide figura.

Planos articulados

A figura “exemplifica” a visão de 3 planos articulados para diferentes modelos de negócio: 1) venda de pequeno porte (1 contato: plano de contato; plano diário, plano semanal e plano mensal);  2) venda de médio porte (poucos contatos: plano de contato, plano da oportunidade, plano da carteira); venda de grande porte (n contato: plano de contato, plano de oportunidades e plano do cliente).


Plano de contato é o “elo da corrente” para qualquer modelo de negócio!

O plano estratégico ( longo prazo), estabelece as metas para os plano tático; o plano tático, define a meta para o plano operacional (plano de contato). Para todos os modelos de negócio, o plano de contato, define o objetivo do próximo contato.


Rotinas diárias, semanais e mensais

Para cada plano da venda devemos estabelecer rotinas diárias, semanais e mensais para rodar o PDCA – planejar, desempenhar, checar e ajustar, em cada plano. Por exemplo, a rotina diária deve avaliar o desempenho do dia anterior –  carga de trabalho, a velocidade, conversão, tamanho e precisão e prever as metas pessoais para o dia corrente. Dessa forma, no intradia, podemos prever se iremos atender a meta diária, quais as ações e reações. E assim. para os demais níveis.

Estabelecer rotinas de planejamento significa: criar o hábito de administrar o tempo (priorizar atividades e alocar tempo), para refletir, definir procedimentos, usar ferramentas para facilitar o planejamento, para agir e reagir aos desvios e atingir as metas, nos vários planos – contato, diário, semanal/mensal; gerar  e organizamos as informações, criamos referências, antecipamos ações e reações para garantir atingir as metas em todos os planos.


Saiba mais: Indicadores de ControlePDCAPlano de ContatoAtingir MetasPlanejamento.

Balancear Vendas

O que é balancear a venda?
Quantas horas por semana você trabalha? Que percentual desse tempo você passa vendendo? Como você prioriza suas atividades de vendas?

Quando pensamos em vendas empresariais, a sazonalidade no fechamento de oportunidades de vendas é, em grande parte, gerada pela forma como uma carteira de oportunidades é construída e gerenciada por um vendedor. Como o tempo de vendas é precioso, mas escasso, é essencial que o vendedor “priorize” e “aloque” esse tempo de forma apropriada.


Priorização e alocação de tempo são duas coisas diferentes.

  • Priorização das atividades de vendas significa saber onde focar primeiro – o que é mais importante.
  • Uma vez que a prioridade seja definida, é de responsabilidade do vendedor decidir quanto tempo gastará em cada atividade.

Num mesmo momento, podem existir diversas oportunidades sendo trabalhadas pelo vendedor e em fases diferente. É importante analisar o conjunto de oportunidades e priorizar o que se fará primeiro, para que a carteira não fique desbalanceada.

Num mesmo momento, podem existir diversas oportunidades sendo trabalhadas pelo vendedor e em fases diferente. É importante analisar o conjunto de oportunidades e priorizar o que se fará primeiro, para que a carteira não fique desbalanceada. O senso comum diz que a primeira prioridade é sempre fechar um pedido. Assim, o desbalanceamento ocorre devido à priorização que se dá às demais atividades.

É normal o vendedor priorizar a qualificação de oportunidades já abertas, em vez de prospectar novos negócios. Isso é um erro – A prospecção das as oportunidades deve ser sempre a segunda prioridade. Se a prospecção não for feita cedo, nosssa linha de produção de receitas acabará secando e, dessa forma, provocando inconsistência nos resultados. A qualificação das oportunidades já abertas deve ser, então, a terceira prioridade do vendedor.


Sazonalidades em vendas são geradas por erros na administração de vendas. Priorizar e alocar tempo são coisas diferentes. Priorize 1º o fechamento. Depois a prospecção e depois a qualificação para conseguir balancear as vendas e eliminar (ou reduzir) a sazonalidade.

Processo de Venda

Quais são as etapas do processos de venda?

A figura mostra as etapas dos processos de compra e venda.

Figura. Processos de Compra e Venda. Para vender precisamos saber ajudar outra pessoa a comprar; aprimorar conhecimentos, habilidades e comportamentos para 1) nos colocar no lugar da pessoa para sentir o que ela sente (empatia), olhar na sua perspectiva e 2) buscar alinhamento em  etapas.

 

PRIMEIRA ETAPA – INVESTIGAÇÃO

  • Esta etapa é a mais importante do processo de venda (e de compra!), muitas vezes denominada o pilar da venda, já que sem necessidades e problemas “ativos” não existe motivação para fazer uma compra.
  • O objetivo dessa etapa na perspectiva de venda é ativar uma necessidade e criar uma imagem de solução na mente do cliente, que seja suportada de forma diferencial pela nossa oferta (serviços e produtos).
  • Para fazermos isso com desempenho devemos aplicar um método que nos ajude a planejar, criar um plano e uma estratégia (conjunto de perguntas), ou seja um método de investigação, para que a cada contato e etapa de investigação, possamos: ganhar mais experiência, inteligência e fluência, avaliar desvios e fazer ajustes.
  • Um método efetivo de investigação, denominado aqui de perguntas SPIS, é composto de perguntas de Situação, Problemas, Implicações e Solução, que são planejadas e executadas no contato de vendas; essas técnica demanda habilidades de fazer essas perguntas de (forma aberta, controlada e fechadas) e habilidades emocionais (autoconsciência, autocontrole, empatia, motivação e sociabilidade), para o cliente falar de forma livre, controlada e conclusiva;
  • As perguntas de situação são as primeiras perguntas a serem a serem feitas para entender o ambiente, o momento, as circunstâncias, fatos e dados considerados pelo comprador e sondar possíveis problemas atrelados; são perguntas que podem ativar necessidades latentes (adormecidas) na mente do potencial comprador, mas não necessariamente ativam; isto dependerá do nível de conscientização e informação do cliente sobre necessidades, problemas e soluções.
  • As perguntas de problema, são aplicadas imediatamente  após as perguntas de situação depespertam necessidades latentes, desenvolvem necessidades ativas para ajudar e influenciar o cliente a criar a sua imagem de solução que aponte para uma solução que podemos atender com diferenciação e vantagem competitiva. As perguntas de problemas devem ser feitas até que o problema esteja bem qualificado pelo comprador e vendedor.
  • Após as perguntas de problema, para vendas de maior porte ou mais complexas, devemos aplicar perguntas de implicação para investigar e conscientizar o comprador da gravidade e urgência das necessidades ou problemas. Essas perguntas exigem um planejamento e habilidades mais apurados por parte do vendedor, já que envolve a investigação de causas e efeitos no dia a dia do cliente.
  • Após o entendimento da situação, necessidades, implicações, devem ser aplicadas as perguntas de solução, para criar uma imagem de solução; no final do processo investigativo, o objetivo é que cliente e vendedor tenham uma visão alinhada da imagem de solução que resolve o problema para uma necessidade ou problema ativo na mente do comprador.
  • Nesta etapa o processo de venda pode ser interrompido ou por inabilidade do vendedor em alinhar a venda com a compra, ou se o cliente  identificar que não vale a mudança e se desmotivar para a compra.
  • Quando aplicamos essas perguntas investigativas obtemos informações técnicas e emocionais para avançar no processo de vendas.

Esta etapa é predominantemente emocional, já que direciona a atenção para as necessidades, problemas e insatisfações do tomador de decisão.

 

Alinhamento da Venda com a compra

Um fundamento  para vender com alto desempenho é a habilidade de alinhar o processo de venda com o processo de compra nos contatos de venda.

  • O processo de venda eficaz está alinhado com a maneira como o cliente compra, e não com o modo como a empresa ou o vendedor deseja vender.
  • Trata-se de inteligência competitiva – basear as atividades de vendas no comportamento de compra de seus clientes; compreender os princípios psicológicos presentes em todo processo de compra; manter-se atento e em sincronia com as preocupações e o modo de pensar dos clientes.
  • O alinhamento ocorre quando entendemos os aspectos comportamentais e psicológicos das pessoas no processo de decisão de compra  e sincronizamos nossas atividades de venda com esses aspectos; compreender os princípios psicológicos presentes em todo processo de compra. Manter-se atento e em sincronia com as preocupações e o modo de pensar dos clientes.
  • Quando as etapas dos processos de compra e venda são entendidas, exercitados e aplicadas pelo vendedor, mais do que ser consultivo, é adotada uma postura apoiada em conceitos psicológicos e alinhamento de comportamentos.

 

Técnicas de alinhamento

  • Na etapa de cognição fazemos perguntas para  fazer o cliente falar e obter informações (emocionais e técnicas) e declarações de necessidades,  sua situação e perguntas que ajudam ele entender o que ainda não compreendeu. O objetivo do vendedor é  ativar necessidades latentes (adormecidas), entender problemas, seus motivos e implicações, e criar uma imagem de solução da necessidade. No processo, deve também ganhar a confiança do cliente (sincronizar  emocional e técnico), É caracterizada por perguntas de situação, problema, implicação e solução; Ao contrário da etapa de qualificação. É uma etapa caracterizada pela emoção, já que está centrada na qualificação do problema, necessidade, insatisfação ou desejo.
  • Na fase de qualificação, para manter o alinhamento, devemos focar em prover e filtrar informações relacionadas com a  situação identificada na fase de conscientização  (descartar todas  as outras informações não relacionadas). Nesse ponto muitos vendedores erram em listar todas as características e vantagens dos produtos e serviços.
  • Efeito sob medida. Você fatalmente já comprou algo e pensou: esse produto foi feito para mim! Tente racionalizar essa sensação. Observe que os produtos e serviços são direcionados para um mercado alvo e não para um cliente. Qual a explicação? A razão disso é que o vendedor escolheu (conscientemente ou não) aquelas informações que tinham relação com a sua necessidade. Se essas informações nesta fase não foram descartadas por você, ou se o descarte foi mínimo, por ter aderência com a situação e necessidade identificada na fase anterior, a sua percepção será que os produtos e serviços são feitos para você.
  • Na fase de convergência (ou decisão), o potencial comprador chega a uma conclusão e para o vendedor se manter alinhado com o processo mental da pessoa, o vendedor deve apresentar  uma proposta de solução, para fechar a venda.

 

 

Saiba mais >>> Como alinhar a venda com a compra

Saiba mais >>> Comportamento do comprador 

Saiba mais >>> Comportamento do vendedor 

Saiba mais >>> Atitudes e comportamentos

Saiba mais >>> Processo de decisão

 

Conclusão: Processos devem ser vistos como mapas que orientam nossas atividades e comportamentos durante o contato e ciclos da venda, e não como algo “burocrático”. Se estivermos alinhados ao processo planejado e exercitado  e o comprador alinhado conosco, pelos benefícios da nossa ajuda, nas etapas da compra, o contato certamente será um sucesso!

 

Soluções de TI – Introdução

Quais são as soluções de conectividade mais frequentes e emergentes no mercado?


Saiba mais sobre Soluções de TI.  Solução CloudSolução DatacenterSolução Telefonia IP,  Solução Unified CommunicationSolução Contact Center IPSoluções de Segurança.


Saiba mais sobre Soluções de Conectividade.  Solução IP VPN MPLSSolução IP VPN com Alta Disponibilidade,  Solução VideoconferênciaSolução TelepresençaSolução Acessos WirelessSolução Lan SwitchingSolução Internet.


 

Saiba mais sobre Conhecer a Oferta. Conhecer a OfertaConhecer a Oferta Cloud Computing.


Soluções de Conectividade – Introduçao

Quais são as soluções de conectividade mais frequentes e emergentes no mercado?


Saiba mais sobre Soluções de Conectividade. Solução Telefonia AvançadaSolução IP VPN MPLSSolução IP VPN com Alta Disponibilidade,  Solução VideoconferênciaSolução TelepresençaSolução Acessos WirelessSolução Lan SwitchingSolução Internet.


Saiba mais sobre Soluções de TI.  Solução CloudSolução DatacenterSolução Telefonia IP,  Solução Unified CommunicationSolução Contact Center IPSoluções de Segurança.


Saiba mais sobre Conhecer a Oferta. Conhecer a OfertaConhecer a Oferta Cloud Computing.


Conhecer a Oferta

Qual a melhor forma de conhecer a nossa oferta e aumentar a percepção do seu valor?

Click na figura


Saiba mais sobre Conhecer a Oferta. Conhecer a Oferta Cloud Computing.


Saiba mais sobre Soluções de Conectividade.  Solução Telefonia Avançada, Solução IP VPN MPLSSolução IP VPN com Alta Disponibilidade,  Solução VideoconferênciaSolução TelepresençaSolução Acessos WirelessSolução Lan SwitchingSolução Internet.


Saiba mais sobre Soluções de TI.  Solução CloudSolução DatacenterSolução Telefonia IP,  Solução Unified CommunicationSolução Contact Center IPSoluções de Segurança.


Conhecer a Oferta Cloud Computing

Como conhecer a oferta cloud computing via os problemas que resolve?


Saiba mais sobre Conhecer a Oferta. Conhecer a Oferta


Saiba mais sobre Soluções de Conectividade.  Solução Telefonia Avançada, Solução IP VPN MPLSSolução IP VPN com Alta Disponibilidade,  Solução VideoconferênciaSolução TelepresençaSolução Acessos WirelessSolução Lan SwitchingSolução Internet.


Saiba mais sobre Soluções de TI.  Solução CloudSolução DatacenterSolução Telefonia IP,  Solução Unified CommunicationSolução Contact Center IPSoluções de Segurança.


Transformação Digital

O que significa o movimento de Transformação Digital e quais seus efeitos nas estratégias de provedores de serviços TIC e clientes?

Click na figura


Saiba mais. Projetos TICBPM – Business Process ManagementBI – Business IntelligenceCloud Computing MobilidadeVirtualizaçãoGerência de RiscoPortais de AtendimentoRedes Sociais.


Projetos TIC

Quais os projetos TIC mais frequentes que impulsionam o movimento de Transformação Digital?

Click na Figura


Saiba mais. Transformação DigitalBPM – Business Process ManagementBI – Business IntelligenceCloud Computing MobilidadeVirtualizaçãoGerência de RiscoPortais de AtendimentoRedes Sociais.


Projetos BPM – Business Process Management

Quais os objetivos e quais os benefícios dos projetos BPM?

Click na Figura


Saiba mais. Transformação DigitalProjetos TICBI – Business IntelligenceCloud Computing MobilidadeVirtualizaçãoGerência de RiscoPortais de AtendimentoRedes Sociais.


Projetos BI – Business Intelligence

Qual a importância dos projetos de BI para a transformação digital?

Click na Figura


Saiba mais. Transformação DigitalProjetos TICBPM – Business Process ManagementCloud Computing MobilidadeVirtualizaçãoGerência de RiscoPortais de AtendimentoRedes Sociais.


Solução Telefonia Avançada

Como funcionam os serviços de rede inteligente – RI?

Click na Figura


Saiba mais sobre Soluções de Conectividade.  Solução IP VPN MPLSSolução IP VPN com Alta Disponibilidade,  Solução VideoconferênciaSolução TelepresençaSolução Acessos WirelessSolução Lan SwitchingSolução Internet,


Saiba mais sobre Soluções de TI. Solução CloudSolução DatacenterSolução Telefonia IP,  Solução Unified CommunicationSolução Contact Center IPSoluções de Segurança.


Saiba mais sobre Telefonia Empresarial. Sistema de TelefoniaTelefonia Características e LimitaçõesComutação por CircuitoSinalização em TelefoniaPABXInterfaces da TelefoniaPDH, E1 e TDMTelefonia e InternetRede e Serviços InteligentesSinalização SS7Redes Privativas de TelefoniaVPN de VozCall Center e Contact CenterEntroncamento e bloqueioErlangDimensionamento de canais e entroncamentosDigitalização da Rede de TelefoniaTelefonia e Internet


 

Solução IP VPN MPLS

Quais são as vantagens das IP VPNs MPLS?

Click na Figura


Saiba mais sobre Soluções de Conectividade e TI.   Solução Telefonia Avançada, Solução IP VPN com Alta Disponibilidade,  Solução VideoconferênciaSolução TelepresençaSolução Acessos WirelessSolução Lan SwitchingSolução InternetSolução CloudSolução Datacenter,, Solução Telefonia IP,  Solução Unified Communication,   Solução Contact Center IPSoluções de Segurança.


Saiba mais sobre Redes Corporativas e VPN MPLS. Resumo VPN MPLS Redundância de AcessoVPN MPLS Alta RedundânciaVPN MPLSVPN MPLS e QoSVPN MPLS ImplantaçaoFuncionamento do MPLS.


Saiba mais sobre Redes Corporativas. Redes WANVPN – Virtual Private NetworkGEEDDS MPLSFatores de mudanças nas WANsFatores de aumento de serviços Internet e MPLSModernização da WAN para Mobilidade e CloudWAN HíbridaWAN IP VPN como backhaul do tráfego InternetMétodos para melhorar o desempenho em WANsRedes Corporativas e ConvergênciaLições aprendidas com as Redes Convergentes.


 

 

Solução IP VPN com Alta Disponibilidade

Quais os SLAs que podemos alcançar com as soluções de redundância de CE, PE e Acesso?

Click na Figura


Saiba mais.   Solução Telefonia Avançada, Solução IP VPN MPLSSolução VideoconferênciaSolução TelepresençaSolução Acessos WirelessSolução Lan SwitchingSolução InternetSolução CloudSolução DatacenterSolução Telefonia IPSolução Unified CommunicationSolução Contact Center IPSoluções de Segurança.


Solução Acessos Wireless

Quais são as soluções de acesso wireless mais frequentes?

Click na Figura


Saiba mais.   Solução Telefonia Avançada, Solução IP VPN MPLSSolução IP VPN com Alta Disponibilidade,  Solução VideoconferênciaSolução TelepresençaSolução Lan SwitchingSolução InternetSolução CloudSolução Datacenter,, Solução Telefonia IP,  Solução Unified CommunicationSolução Contact Center IPSoluções de Segurança.


Solução Internet

Quais os principais critérios de seleção de um provedor Internet?

Click na Figura


Saiba mais sobre Soluções de Conectividade e TI.   Solução Telefonia Avançada, Solução IP VPN MPLSSolução IP VPN com Alta Disponibilidade,  Solução VideoconferênciaSolução TelepresençaSolução Acessos WirelessSolução Lan SwitchingSolução InternetSolução CloudSolução Datacenter,, Solução Telefonia IP,  Solução Unified Communication,   Solução Contact Center IPSoluções de Segurança.


Saiba mais sobre fundamentos da Internet. A InternetA Internet a Rede das RedesInternet e sistemas autônomosComutação por PacotesInternet e ProtocolosEndereçamento IPInternet e o protocolo HTTPDNS – Domain Name SystemInternet e HTMLWWW – World Wide WebCorreio EletrônicoInternet e CookiesInternet e QoS.


Saiba mais sobre Internet, “a grande mudança”. WWW – O Supercomputador MundialGoogleJogos na InternetSalesforce.comInternet – processamento e armazenamento distribuídosInternet e Retornos Crescentes de EscalaInternet – Produção e Distribuição Gratuita de ProdutosInternet , Jornalismo, Comunicação e Marketing


Saiba mais sobre Internet Banda Larga. Bits e BytesWi-fi e interferênciasEthernet x Wi-fiJogos on lineSLAs Internet Banda Larga10 giga bytes por mêsConsumo Internet Celular5 Gigabytes por mêsPrevisão de Consumo de Dados


Saiba mais sobre IoT.  IoT – Internet of ThingsIoT – estado da arte


 

Solução Telepresença

Quais as diferenças entre os sistemas de Telepresença e os de Videoconferência?

Click na Figura

Saiba mais.   Solução Telefonia Avançada, Solução IP VPN MPLSSolução IP VPN com Alta Disponibilidade,  Solução VideoconferênciaSolução Acessos WirelessSolução Lan SwitchingSolução InternetSolução CloudSolução Datacenter,, Solução Telefonia IP,  Solução Unified Communication,   Solução Contact Center IPSoluções de Segurança.


Solução Videoconferência

Como funcionam as soluções de videoconferência?

Click na Figura


Saiba mais.   Solução Telefonia Avançada, Solução IP VPN MPLSSolução IP VPN com Alta DisponibilidadeSolução TelepresençaSolução Acessos WirelessSolução Lan SwitchingSolução InternetSolução CloudSolução Datacenter,, Solução Telefonia IP,  Solução Unified CommunicationSolução Contact Center IPSoluções de Segurança.


Solução Datacenter

Quais são os serviços e soluções de outsourcing de datacenter?

Click na Figura


Saiba mais sobre Soluções de Conectividade e TI. Solução Telefonia AvançadaSolução IP VPN MPLSSolução IP VPN com Alta Disponibilidade,  Solução VideoconferênciaSolução TelepresençaSolução Acessos WirelessSolução Lan SwitchingSolução InternetSolução CloudSolução, Solução Telefonia IP,  Solução Unified Communication,   Solução Contact Center IPSoluções de Segurança.


Saiba mais sobre Datacenter. Resumo Datacenter, O que é um DatacenterEvolução dos DatacentersDatacenters e Servidores,  Serviços Gerenciados em DatacentersMoving de DatacenterEficiência de Energia em DatacenterPUE – Power Usage EffectivenessMelhoria de Eficiência de Energia do DatacenterCliente Servidor x MulticamadasAplicação e modelo multicamadasEAI – Enterprise Application Integration


 

Saiba mais sobre Outsourcing de Datacenter. Outsourcing de Serviços de DatacenterLimitações do modelo de TI tradicionalEstratégia de Outsourcing de TITCO – Custo Total de PropriedadeOutsourcing x Solução PrópriaCloud x Colocatio x HostingSeleção de Provedores.


Saiba mais sobre Serviços de Datacenter. Serviços VirtualizadosServiços de Infraestrutura IPSAN – Storage Area NetworkServiços de Otimização de AplicaçõesServiços de Segurança.


Saiba mais sobre Virtualização de Datacenter. Tecnologias de VirtualizaçãoMáquina VirtualVirtualização de ArmazenamentoVirtualização de DatacentersEvolução da VirtualizaçãoCaracterísticas da Virtualização


Saiba mais sobre Virtualização de Datacenter. Serviços de HostingTipos de Hosting (Hospedagem), Hosting e Perguntas FrequentesHosting com Servidores DedicadosResponsabilidades do Hosting e ColocationColocation ou Hosting?Precificação do Colocation e Hosting.


Saiba mais Datacenter Armazenamento. Servidor de ArquivosSistemas de Armazenamento em RedeTecnologias de Acesso de DadosRAID – Redundant Array of Inexpensive DisksDAS – Direct Attached StorageNAS – Network Atacched StorageNAS e suas aplicaçõesNAS x DASSAN – Storage Area NetworkNAS x SANArmazenamento na NuvemSaaS e Armazenamento


Saiba mais Datacenter Back-up e Recuperacao. Backup de Dados e RecuperaçãoOs 5 Tipos de BackupsTerceirização da Recuperação de DesastresPCN – Plano de Continuidade de NegócioRecuperação de DesastresDR com VMsDRaaS


Solução Lan Switching

O que é, como é implementada, quais as aplicações e tendências?

Click na Figura


Saiba mais.   Solução Telefonia Avançada, Solução IP VPN MPLSSolução IP VPN com Alta Disponibilidade,  Solução VideoconferênciaSolução TelepresençaSolução Acessos WirelessSolução InternetSolução CloudSolução Datacenter,, Solução Telefonia IP,  Solução Unified CommunicationSolução Contact Center IPSoluções de Segurança.


Solução Cloud

Qual o propósito de cloud computing e quais as soluções mais frequentes?

Click na Figura


Saiba mais sobre Soluções de Conectividade e TI.   Solução Telefonia Avançada, Solução IP VPN MPLSSolução IP VPN com Alta DisponibilidadeSolução VideoconferênciaSolução TelepresençaSolução Acessos WirelessSolução Lan SwitchingSolução InternetSolução DatacenterSolução Telefonia IP,  Solução Unified CommunicationSolução Contact Center IPSoluções de Segurança.


Saiba mais sobre Cloud. Resumo Cloud ComputingO que é Cloud Computing?Infraestrutura CloudUtility Computing e Cloud ComputingModelo NISTRazões do Sucesso de Cloud Computing.


Saiba mais sobre Cloud Migração. Estratégias para CloudResumo Migração para a NuvemMigração para a NuvemJornada para Cloud ComputingTransição suave para a nuvemRisco para migrar para a nuvemPreocupações para migrar para a nuvemPor onde começar na nuvem?Estratégias de migração para a nuvemCloud e estratégia de negócioCloud e situação atual do datacenterCloud e estrutura de dadosCustos de uma aplicaçãoRecuperação de custos.


Saiba mais. SaaS, PaaS e IaaSFicha Técnica do SaaSSaaS e Armazenamento,  IaaS da AmazonSaaS e Multi-tenancySalesforce.com (SaaS)Serviços SaaS do GoogleFicha Técnica do PaaSPaaS do GooglePaaS – Azure da MicrosoftwareFicha Técnica do IaaSAmazon Web Services (AWS)IaaS da Amazon.


 

Solução Telefonia IP

Como funciona a Telefonia IP e quais seus benefícios?

Click na Figura


Saiba mais sobre Soluções de Conectividade e TI. Solução Telefonia Avançada, Solução IP VPN MPLSSolução IP VPN com Alta DisponibilidadeSolução VideoconferênciaSolução TelepresençaSolução Acessos WirelessSolução Lan SwitchingSolução InternetSolução CloudSolução DatacenterSolução Unified CommunicationSolução Contact Center IPSoluções de Segurança.


Saiba mais sobre Telefonia IP. Resumo Migração para Telefonia IPResumo Telefonia IPTelefonia IPChamadas na Telefonia IPComponentes da Telefonia IPBenefícios da Telefonia IPVoIP e Telefonia IPBenefício do VoIPImplantação de VoIPProtocolos VoIP.


Solução Unified Communication

O que é e como funciona a UC?

Click na Figura


Saiba mais.  Solução Telefonia Avançada, Solução IP VPN MPLSSolução IP VPN com Alta Disponibilidade,  Solução VideoconferênciaSolução TelepresençaSolução Acessos WirelessSolução Lan SwitchingSolução InternetSolução CloudSolução Datacenter,, Solução Telefonia IP,  Solução Contact Center IPSoluções de Segurança.


Solução Contact Center IP

Como funciona o Contact Center IP?

Click na Figura


Saiba mais.   Solução Telefonia Avançada, Solução IP VPN MPLSSolução IP VPN com Alta DisponibilidadeSolução VideoconferênciaSolução TelepresençaSolução Acessos WirelessSolução Lan SwitchingSolução InternetSolução CloudSolução DatacenterSolução Telefonia IP,  Solução Unified CommunicationSoluções de Segurança.


Soluções de Segurança

Quais os mecanismos de segurança mais utilizados?

Click na Figura


Saiba mais sobre Soluções de Conectividade e TI.   Solução Telefonia Avançada, Solução IP VPN MPLSSolução IP VPN com Alta DisponibilidadeSolução VideoconferênciaSolução TelepresençaSolução Acessos WirelessSolução Lan SwitchingSolução InternetSolução CloudSolução DatacenterSolução Telefonia IPSolução Unified CommunicationSolução Contact Center IP.


Saiba mais sobre Fundamentos de Segurança. Segurança – Perguntas PrincipaisCibercrimeBYOD, Mobilidade e SegurançaSegurança da Informação5 princípios de segurança – CIDALAmeaça, Vulnerabilidade e RiscoAtivosDados, Informação e ConhecimentoClassificação das InformaçõesProblemas e Soluções de SegurançaAmeaças e Soluções de Segurança


 

Saiba mais sobre Políticas e Sistemas de Segurança para as empresas. Política de SegurançaDiretrizes de SegurançaPolítica de Segurança e Boas PráticasExemplo de Política de SegurançaGestão de Segurança nas empresasSGSI – Sistema de Gestão da Segurança de InformaçõesISO 27001 e SGSIConformidadeSegurança em CamadasZonas de Segurança – Núcleo, Perímetro e AcessoPosicionamento das tecnologias de segurança


Saiba mais sobre Mecanismos de Segurança. Segurança IntegradaResumo de Mecanismos de SegurançaMecanismos de SegurançaFirewallTipos de firewallProjeto de FirewallServidor ProxyDMZNAT e SegurançaControle de AcessoRADIUS – Servidor de Controle de AcessoAutenticação x CertificaçãoIPSecSSL (Secure Socket Layer)Desvantagens do SSLVPNs SegurasTipos de MalwareEfeitos do Malware


Saiba mais sobre Segurança para pequenas Empresas. Segurança da Pequena EmpresaComo escolher a Solução de Segurança da Pequena EmpresaSoluções de Segurança da Pequena EmpresaSegurança para filiaisSSaaS para Pequenas Empresas.


 

Projetos Cloud Computing

Quais os benefícios dos projetos de Cloud Computing?


Saiba mais. Transformação DigitalProjetos TICBPM – Business Process ManagementBI – Business IntelligenceMobilidadeVirtualizaçãoGerência de RiscoPortais de AtendimentoRedes Sociais.


Projetos Mobilidade

Qual o panorama de serviços e aplicações móveis no Brasil?


Saiba mais. Transformação DigitalProjetos TICBPM – Business Process ManagementBI – Business IntelligenceCloud Computing VirtualizaçãoGerência de RiscoPortais de AtendimentoRedes Sociais.


Projetos de Virtualização

Quais as características e benefícios da virtualização?


Saiba mais. Transformação DigitalProjetos TICBPM – Business Process ManagementBI – Business IntelligenceCloud Computing MobilidadeGerência de RiscoPortais de AtendimentoRedes Sociais.